Positivo Informática reverte prejuízo e lucra R$3,3 mi no 2o tri

A Positivo Informática teve lucro líquido de 3,3 milhões de reais no segundo trimestre, revertendo resultado negativo de 8,2 milhões sofrido no mesmo período de 2013, informou a fabricante de computadores nesta quarta-feira.

REUTERS

06 Agosto 2014 | 20h32

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou 35,2 milhões de reais, salto de 86,7 por cento sobre o segundo trimestre de 2013. A margem no período avançou de 3 para 6,1 por cento.

Segundo a companhia, após um segundo trimestre com desempenho do varejo abaixo abaixo do esperado, a partir de julho a "Positivo Informática verificou sinais de melhora da demanda, o que poderá resultar em uma recuperação de volumes no varejo no terceiro trimestre, sendo potencialmente o ponto de inflexão da trajetória traçada ao longo do primeiro semestre".

A receita líquida da companhia recuou no segundo trimestre 8,3 por cento, a 579,3 milhões de reais. O recuo foi contido por crescimento da empresa em vendas para o governo e para empresas, segundo o balanço.

A companhia informou que decidiu antecipar o início da produção própria de celulares inteligentes, após ter problemas com produção terceirizada que impactaram as vendas no segundo trimestre.

A Positivo afirmou que iniciou no final de junho produção própria de smartphones, com uma capacidade de até 80 mil unidades por mês. No segundo trimestre, a empresa vendeu 43,8 mil smartphones e 10,1 mil celulares mais simples, em um volume total que mostrou queda de 21,4 por cento sobre um ano antes.

Segundo a empresa, um cronograma de lançamentos de produtos "com boa perspectiva de escalada de volumes para os próximos trimestres", foi estabelecido, o que "será fundamental para se atingir uma maior diversificação de receitas entre produtos e canais de venda".

A Positivo Informática vendeu um total de 582,35 mil computadores e tablets no segundo trimestre, queda de 28,9 por cento sobre um ano antes, com grande parte do recuo, 41 por cento, devido ao segmento de notebooks.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Mais conteúdo sobre:
TECH POSITIVO RESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.