Proteja a horta e o pomar contra geada

Algumas técnicas, entre elas a irrigação por microaspersão, evitam[br]que a produção seja perdida por causa do frio

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

09 Julho 2008 | 01h58

Manter a lavoura protegida no inverno requer planejamento por parte do produtor, já que a eficiência dos serviços meteorológicos depende também de medidas adotadas no campo. Além do café, que possui técnicas específicas de proteção contra geadas, hortaliças e frutas também devem ser protegidas contra geadas, diz o pesquisador Paulo Henrique Caramori, do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar).Para hortaliças a céu aberto, a proteção é feita com túneis baixos. São colocados arcos ou vergalhões de ferro sobre o canteiro e esses arcos são cobertos por filme plástico transparente. ''A cobertura pode ser feita com EVA, tratado, para diminuir a perda de calor e evitar o resfriamento noturno.''A estrutura de arcos deve ficar pronta de antemão. Na véspera da geada, o plástico é esticado e o túnel vedado com terra. A altura mínima do solo ao ponto mais alto do arco é de 70 centímetros. A construção, temporária, é indicada para folhosas, como alface, agrião e rúcula. Arcos são vendidos em lojas agropecuárias.IRRIGAÇÃOPara hortaliças, outra técnica usa irrigação. Se houver previsão de geada, aspersores de alta pressão e baixa vazão são acionados e mantidos ligados até o dia seguinte, antes de o sol nascer. ''A água liberada tem temperatura mais elevada (15 graus) do que a do ambiente externo. Como as gotas são finas, a água passa do estado líquido para o sólido, e isso produz calor'', explica. ''Essa irrigação contínua forma um vapor, que impede a queda de temperatura.'' Esta alternativa requer planejamento especializado.Para as frutas, a dica do assitente técnico da Emater-RS Antônio Conte é adiar a poda de inverno para após o período de frio intenso. ''Quanto mais cedo podar, mais cedo há brotação e, se houver geada, os danos são maiores.'' A microaspersão é usada nos cultivos protegidos de morango. A estufa é monitorada com termômetro e, se há previsão de temperatura de zero grau, aciona-se a irrigação. A água liberada congela sobre o plástico e forma um ''túnel de gelo'', que evita a perda de calor pelo solo. ''O túnel é mantido até o dia amanhecer, a temperatura é elevada em até 3 graus e não há queima de folhas e frutos.''SERVIÇOSO Alerta Geada, do Iapar, auxilia na proteção de cafezais em caso de geadas. Pela internet (www.iapar.br) ou telefone (0--43) 3391-4500, o produtor tem acesso a boletins diários. O aviso sobre geadas é feito com 48 horas de antecedência e confirmado 24 horas depois.Para produtores de outros Estados, há o Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo), da Embrapa e do Cepagri, da Unicamp. Nos sites www.agritempo.gov.br e www.cpa.unicamp.br há previsões para Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas e Mato Grosso do Sul, regiões sujeitas a geadas.

Mais conteúdo sobre:
geadapomar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.