Rainha pede que escoceses pensem 'cuidadosamente' sobre voto de independência

A rainha Elizabeth II quebrou seu silêncio em relação ao referendo da Escócia sobre a independência do Reino Unido, dizendo neste domingo que ela espera que escoceses pensem muito cuidadosamente sobre o futuro.

REUTERS

14 Setembro 2014 | 17h01

O monarca, que saiu de um culto pela manhã em uma igreja em Crathie, perto de sua propriedade na Escócia, respondeu a um comentário de um simpatizante.

"Eu espero que as pessoas pensem muito cuidadosamente sobre o futuro", afirmou o jornal The Times, relatando a fala da rainha.

Um voto pela independência na próxima quinta-feira poderia dividir o reino e, embora Elizabeth seja favorável à união, ela tem sido extremamente cuidadosa para evitar fazer comentários públicos sobre o referendo.

"Isso é totalmente imparcial e reforça o ponto de que este é um assunto para o povo da Escócia", disse uma fonte do Palácio de Buckingham à Reuters.

"A rainha é constitucionalmente imparcial, acima da política e sempre disse que esta é uma questão para o povo da Escócia", disse a fonte.

Seja qual for o resultado da votação de quinta-feira, Elizabeth ainda poderia ser rainha da Escócia, uma vez que a maioria dos escoceses faz questão de mantê-la como chefe de Estado, mesmo que votem pela independência.

A mão de Elizabeth era escocesa e ela passou a maior parte de sua infância lá. Sua irmã Margaret nasceu lá.

O país também é o destino de verão favorito da rainha e de seu marido Philip.

(Por Guy Faulconbridge)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOREINOUNIDORAINHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.