Reprodução La Nacion - lanacion.com.ar/Estadão
Reprodução La Nacion - lanacion.com.ar/Estadão

'Rolezinhos' são destaque na imprensa argentina

Na capa da edição online do La Nación, o jornal descreveu a situação como "um fenômeno que vincula jovens, shoppings e pobreza"

Marina Guimarães, Agência Estado

16 de janeiro de 2014 | 17h13

BUENOS AIRES - Os polêmicos "rolezinhos" no Brasil também ganharam destaque na imprensa argentina. Na capa da edição online do La Nación, o jornal descreveu a situação como "um fenômeno que vincula jovens, shoppings e pobreza". A reportagem explicou que as irrupções de adolescentes de classe baixa nos centros comerciais convocadas pelas redes sociais preocupam os empresários e os políticos no ano da Copa do Mundo. O La Nación ressaltou que os "rolezinhos" existem há tempos, mas nunca com tanta força como agora.

O jornal argentino disse ainda que o fenômeno parece ter se instalado nos shoppings, mas a polícia quer erradicá-lo antes de junho, quando começam os jogos da Copa. Mencionando a imprensa brasileira, o La Nación ressaltou ainda que a presidente Dilma Rousseff condenou a repressão e os preconceitos, durante reunião ministerial. O jornal econômico Ámbito Financiero também deu destaque ao tema e intitulou em sua edição impressa que as festas de jovens pobres nos shopping viraram tema de Estado no Brasil.

Caos social. Em reportagem assinada pelas agências de notícias Ansa e AFP, o Ámbito destacou que o grande temor do governo brasileiro é que os "rolezinhos" sejam uma ponta de lança para o ressurgimento de um caos social, como o que ocorreu no ano passado, em meio a protestos de estudantes contra os reajustes de preços das passagens de ônibus. Ambos os jornais reiteram informação publicada no Brasil de que a presidente Dilma encomendou aos ministros de Justiça e de Cultura, relatórios mais detalhados sobre o fenômeno.

Mais conteúdo sobre:
rolezinhosArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.