Vantagem de Obama sobre Hillary cai e McCain venceria democratas

A ampla vantagem de Barack Obamasobre Hillary Clinton na pesquisa nacional praticamente seevaporou, e ambos os democratas estão atrás do republicano JohnMcCain, segundo levantamento Reuters/Zogby divulgado naquarta-feira. Obama ainda aparece ligeiramente à frente, 47 a 44 porcento. Em fevereiro, o senador tinha 14 pontos percentuais devantagem sobre a rival. Nas últimas semanas, Obama enfrenta ataques por causa desua suposta inexperiência e das declarações de seu pastor emChicago. McCain se beneficia da prolongada disputa pela indicaçãodemocrata, que terá seu próximo round no dia 22 de abril naPensilvânia. O levantamento mostra que McCain assumiu a liderança nocenário em que seu adversário é Obama, 46 a 40 por cento. Emfevereiro, Obama estava à frente de McCain por 47 a 40 porcento. "As última duas semanas tiveram um impacto negativo paraObama e, para as eleições gerais, para os dois democratas",disse o especialista em pesquisas de opinião John Zogby. Já contra Hillary a vantagem de McCain caiu de 50 a 38 porcento em fevereiro para 48 a 40 por cento em março. "Não me surpreende que McCain esteja no topo, porque hádesordem e confusão no lado democrata", disse Zogby. Na terça-feira, Obama fez um discurso criticando o tominflamatório de alguns sermões do pastor Jeremiah Wright, masdisse que não poderia se dissociar do religioso e que é hora deos EUA curarem suas feridas raciais. A pesquisa mostra que Obama continua tendo forte apoio dosafro-americanos, mas vem perdendo apoio entre moderados eindependentes. Entre os independentes, McCain lidera com 46 a 36 por centonuma disputa com Obama. Entre os brancos, McCain está 21 pontosà frente de Obama. Zogby atribui o resultado a uma consequência da vitória deHillary na eleição primária de Ohio, neste mês, e da polêmicaem torno do pastor Wright. "E quanto mais perto ele fica daindicação, mais duras são as perguntas que os brancos fazemsobre um candidato afro-americano", disse Zogby. A pesquisa foi feita nos dias 13 e 14 de março e ouviu 525prováveis eleitores democratas para a simulação entre Hillary eObama. A margem de erro é de 4,4 pontos percentuais para maisou para menos. Para a simulação entre McCain e os democratas, foramouvidos 1.004 prováveis eleitores, com margem de erro de 3,2pontos percentuais para mais ou para menos. REUTERS ES

STEVE HOLLAND, REUTERS

19 de março de 2008 | 09h36

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOPESQUISAOBAMACAI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.