PUBLICIDADE

Bivar tenta ‘virada de mesa’, mas é derrotado e União Brasil inicia convenção para eleger Rueda

Atual presidente do partido publicou edital para cancelar convenção da legenda, mas adversários dele aprovaram recurso para garantir a realização do encontro que vai eleger novo dirigente

Foto do author Iander Porcella
Foto do author Giordanna Neves
Por Iander Porcella (Broadcast) e Giordanna Neves (Broadcast)

BRASÍLIA – O atual presidente do União Brasil, Luciano Bivar, tentou uma “virada de mesa” de última hora para evitar que o advogado Antônio Rueda assumisse o cargo em seu lugar. O dirigente publicou um edital que cancelava a convenção do partido marcada para esta quinta-feira, 29, mas adversários dele aprovaram um recurso para garantir a realização do encontro, que ocorre em Brasília. A votação já começou.

O deputado federal Luciano Bivar é o presidente do União Brasil, que nasceu da fusão entre DEM e PSL. Foto: Dida Sampaio/Estadão

PUBLICIDADE

Bivar chegou pela manhã ao local da convenção, chamou Rueda de “covarde” e depois foi embora, segundo apurou o Broadcast Político/Estadão. A reunião ocorre a portas fechadas. O recurso contra a decisão de Bivar foi apoiado pelo secretário-geral da sigla e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado, pelos senadores Davi Alcolumbre (AP), Efraim Filho (PB) e Professora Dorinha (TO) e pelo deputado Mendonça Filho (PE), entre outros integrantes da Executiva do partido.

Mesmo que Rueda seja eleito o novo presidente, como previsto, o mandato de Bivar à frente do União termina somente em 31 de maio. A mudança no comando da sigla foi definida no final do ano passado, após uma série de embates internos. O União foi formado em 2022 a partir da fusão entre os antigos DEM e PSL, mas as duas alas nunca se acertaram. Bivar era presidente do PSL, enquanto ACM Neto, Efraim e Caiado, por exemplo, eram membros do DEM.

Durante uma entrevista coletiva na sede do partido nesta quarta-feira, 28, Bivar carregava uma pasta com a inscrição “denúncias”. O deputado disse que não poderia revelar o conteúdo dos documentos, mas afirmou que pode levá-los ao Ministério Público. De acordo com ele, há uma investigação interna sobre integrantes da sigla.

No total, foram três chapas inscritas para a convenção. Segundo Bivar, a primeira chapa, cadastrada por Rueda, não continha o nome dele – ou seja, o deputado seria deixado completamente de fora das decisões do partido. “Rueda será o presidente. Bivar está brigando sozinho”, disse ao Broadcast Político/Estadão um deputado do União que preferiu não se identificar.

Embora não tenha dito com todas as letras que as supostas denúncias que carregava eram contra Rueda, nem apresentado provas, o presidente do União deu a entender que seu possível sucessor estaria envolvido nos supostos esquemas ilícitos.

“Essas denúncias são de toda a sorte, são incríveis. São denúncias de que o partido não pode estar na mão de alguém que queira usá-lo a título de fazer negócios”, disse o deputado. “Denúncias têm aqui. Eu não posso colocar uma denúncia sem antes ver a procedência dela. Certamente, eu vou abrir uma investigação sobre isso. Como as denúncias são graves, eu posso até levar ao Ministério Público”, emendou Bivar.

Publicidade

Bivar e líder do partido na Câmara têm divergências frequentes

Bivar e Rueda conversaram por telefone na segunda-feira, 26. Segundo a coluna do jornalista Lauro Jardim, em O Globo, o líder do União Brasil na Câmara, Elmar Nascimento (BA), relatou a deputados que Bivar teria ameaçado de morte familiares de Rueda. “Sou um cara pacífico”, respondeu Bivar na entrevista coletiva. “Foi picotado um estado emocional de parte a parte”, emendou, em referência a um suposto áudio da conversa mostrado por Elmar.

O presidente do União também atacou Elmar. “Eu não sei de que lado está o líder Elmar. Eu só fico preocupado porque ele é um candidato nosso para uma sucessão do (Arthur Lira). Mas, tendo um comportamento desse, dúbio, nos deixa preocupados em o partido apoiá-lo ou não”, disse.

Elmar Nascimento (BA), líder do União Brasil na Câmara Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Bivar e Elmar divergem internamente com frequência, e o presidente da sigla já havia tentado tirar o deputado baiano da liderança na Câmara em novembro de 2022. Naquele mês, a sigla decidiu declarar apoio à candidatura de Lira à reeleição na presidência da Casa, em acordo costurado por Elmar, contra a vontade de Bivar, que pretendia lançar seu próprio nome ao posto.

Na campanha eleitoral de 2022, houve reclamações no União sobre a destinação de recursos dos fundos eleitoral e partidário, o que desgastou Bivar. Vários diretórios regionais do partido também racharam nos últimos meses. Bivar é egresso do PSL, enquanto ACM Neto e Elmar eram do DEM.