PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

Opinião|Chega 2024

convidado

O relógio bateu meianoite.

PUBLICIDADE

Era o Ano Novo de 2024 nascendo, significando um alvorecer de esperança e felicidade para a humanidade.

Momento de reunir-se com amigos e familiares, refletir sobre nossas vidas, tudo o que conquistamos e o que queremos fazer no novo ano.

Nesta noite-madrugada, ergueram-se brindes de otimismo, na alegria ilimitada de sonhos desfraldados, diante da chegada de um novo começo, repleto de infinitas possibilidades.

As velas ornamentais derreteram-se, simbolizando a luz, o espírito e o calor da vida.

Publicidade

Ney Lopes Foto: Arquivo pessoal

A confiança de todos é que os sonhos, emoldurados pela sinfonia das estrelas, floresçam como rosas, no jardim dessa nova etapa do calendário.

2024 é um ano Bissexto, ou seja, de 366 dias, no qual existe o dia 29 de fevereiro. Ele acontece a cada 4 anos. O último ano bissexto foi 2020.

O ano bissexto existe para ajustar o calendário terrestre, pois na realidade um ano não tem exatamente 365 dias.

O registro mais antigo de uma festa de Ano Novo data de cerca de 2000 AC, ocorreu na Mesopotâmia, área que corresponde hoje aos territórios de Iraque, Kuwait, Síria e Turquia.

Por dependerem da agricultura para sobreviver, eles celebravam o fim do inverno e início da primavera, época em que se iniciava uma nova safra de plantação.

Publicidade

A tradição de festejos existe no Ocidente e no Oriente, embora com datas diferentes em função de calendários criados para contar os dias em ordem cronológica.

Existem oito tipos de calendários no mundo. Alguns pararam de ser usados, enquanto outros estão até hoje,

No Brasil é usado o calendário Gregoriano, criado pelo Papa Gregóiria XIII, em 1582.

O que significa o ano novo?

Ao entrarmos em um novo ano, é natural ter momento para refletir sobre o ano passado, tudo o que aconteceu e confiar no futuro que chega.

Publicidade

Essa prática não só permite pausar e apreciar as experiências e momentos de alegria, mas também é a oportunidade de reconhecer os desafios e o crescimento que ocorreram.

O sentimento de “gratidão” deve inspirar a recordação de cada memória ou evento, o que permite enxergar lições de vida escondidas, à primeira vista.

Refletir sobre o ano passado envolve expressar gratidão àqueles de quem recebemos incentivos e apoios, seja a família, amigos, ou até mesmo estranhos que causaram um impacto positivo na vida de cada um.

Ao embarcar em mais um ano, repleto de possibilidades e oportunidades, continua o cultivo do sentimento de gratidão.

Uma prática que fortalece a gratidão é nunca ignorar as vitórias e passar para o próximo objetivo.

Publicidade

A virtude está em reconhecer sempre e celebrar todas as conquistas.

Assim, será possível a cada dia cultivar a alegria e aproveitar ao máximo cada momento.

Além de celebrar as vitórias, também refletir sobre os desafios enfrentados, oportunidades para aprender, adaptar e crescer. Ao expressar gratidão por essas dificuldades, se torna possível cultivar uma mentalidade positiva e desenvolver maior senso de autoconsciência.

Em um mundo cheio de constante mudança e incerteza, cultivar a gratidão é uma prática poderosa.

A gratidão é capaz de reformular quaisquer experiências negativas e extrair os aspectos positivos deles.

Publicidade

É difícil, mas deve ser tentado.

Thomas Stearns Eliot, poeta ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, escreveu:

“As palavras do ano passado pertencem à linguagem do ano passado; As palavras do próximo ano aguardam outra voz. Construir um fim é fazer um novo começo”.

*Ney Lopes, jornalista, advogado, ex-deputado federal. Ex-presidente da CCJ da Câmara Federal, ex-presidente do Parlamento Latino-Americano, procurador federal. Email: nl@neylopes.com.br; site: blogdoneylopes.com.br

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.