EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna do Estadão

| Por Roseann Kennedy

Roseann Kennedy traz os bastidores da política e da economia, com Eduardo Gayer e Augusto Tenório

Diretor da PF reuniu-se com comandante do Exército antes de operação contra militares; leia bastidor

Gesto é praxe e visa manter a harmonia entre as instituições; Andrei pediu ao general Tomás colaboração para as diligências, e foi atendido.

PUBLICIDADE

Foto do author Eduardo Gayer
Por Eduardo Gayer

O diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, reuniu-se na noite desta quarta-feira, 7, com o comandante do Exército, general Tomás Paiva, e informou que a corporação iria deflagrar no dia seguinte a Operação Tempus Veritatis, com militares no rol de investigados.

O gesto é praxe e visa manter a harmonia entre as instituições. Andrei pediu ao general Tomás colaboração para as diligências, e foi atendido.

O diretor-geral da PF, Andrei Rodrigues. Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara

PUBLICIDADE

A PF apura uma suposta organização criminosa responsável por tentar um golpe de Estado no País. Todos os investigados são ligados ao ex-presidente Jair Bolsonaro, que também foi alvo de busca e apreensão. O coronel do Exército Marcelo Câmara, ex-assessor de Bolsonaro, e Rafael Martins de Oliveira, major das Forças Especiais do Exército, foram presos.

Ainda são investigados os generais Augusto Heleno (ex-ministro do GSI), Walter Braga Netto (ex-Casa Civil) e Paulo Sérgio Nogueira (ex-ministro da Defesa).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.