Comício de Damares expõe divisão na base bolsonarista e conta com presença de Michelle

Ex-ministra diz ser melhor que Flávia, mas avalia que Bolsonaro ficará neutro na disputa

PUBLICIDADE

Foto do author Lauriberto Pompeu
Por Lauriberto Pompeu

BRASÍLIA — Em seu primeiro comício de campanha, a ex-ministra e candidata ao Senado Damares Alves (Republicanos-DF) reuniu a primeira-dama Michelle Bolsonaro e outros aliados do governo. O ato, que aconteceu na igreja evangélica Sara Nossa Terra, em Vicente Pires, explicitou a divisão do palanque do presidente Jair Bolsonaro (PL) no Distrito Federal, que também conta com a deputada e ex-ministra Flávia Arruda (PL) como candidata ao Senado.

“Brasília tem duas candidatas a senadora de direita. O povo vai ter a oportunidade de escolher a melhor proposta e já vou dizendo que a melhor é a minha”, declarou Damares. Na prática, porém, ela concorre como candidatura avulsa na eleição, uma vez que Flávia é a candidata oficial ao Senado na chapa do governador Ibaneis Rocha (MDB).

'Chega, chega de corrupção, chega de projeto de poder. Damares Alves é a voz daqueles que mais precisam do Senado Federal', disse Michelle. Foto: Wilton Júnior/Estadão

PUBLICIDADE

Michelle Bolsonaro fez um discurso elogiando Damares em um tom predominantemente religioso. As duas são evangélicas. “Vou estar com ela até o fim e vou orar a Deus para que aquela cadeira do Senado seja ocupada por uma mulher de valores e princípios cristãos”, afirmou Michelle.

A primeira-dama também disse que trabalhou em parceria com Damares quando ela comandava o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. “Foram quase quatro anos ao lado dessa supermulher maravilhosa Damares Alves, onde nós trabalhamos, construímos políticas públicas para aqueles que ficaram tanto tempo invisibilizados na sociedade”, afirmou.

“Chega, chega de corrupção, chega de projeto de poder. Damares Alves é a voz daqueles que mais precisam do Senado Federal”, disse Michelle, embora o governo Bolsonaro seja marcado por denúncias de corrupção, como no caso do orçamento secreto, e por denúncias de desvios em compras de vacinas contra a covid-19.

Damares também recebeu o apoio dos ex-ministros Marcos Pontes, Onyx Lorenzoni, Gilson Machado e do vice-presidente Hamilton Mourão, que não compareceram ao comício, mas enviaram vídeos. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou do ato.

Além do racha na base bolsonarista, Damares também atraiu parte dos aliados do governador Ibaneis Rocha (MDB-DF), que disputa a reeleição. A deputada Celina Leão (Progressistas-DF), candidata a vice-governadora na chapa de Ibaneis, e a primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, também estiveram no comício.

Publicidade

Ao final do evento, a candidata do Republicanos procurou minimizar o palanque bolsonarista dividido e afirmou não acreditar que Bolsonaro vá manifestar apoio a ela ou a Flávia durante a eleição.

“As duas tem propostas muito parecidas, as duas vão caminhar. Ninguém vai colocar o presidente (contra) a parede. Ele não se envolveu nisso até agora e creio que não vai se envolver”, declarou Damares, falando na terceira pessoa.

O evento também serviu para campanha de candidatos a deputados distritais e federais do Republicanos e do União Brasil, partidos da coligação da ex-ministra.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.