PUBLICIDADE

Ex-secretário de Nunes demitido por negar aquecimento global defende candidatura de Salles em SP

Antonio Fernando Pinheiro Pedro afirmou trabalhar com a possibilidade de o deputado ser candidato, mesmo depois de o PL de Jair Bolsonaro declarar apoio à reeleição do atual prefeito da capital paulista

Foto do author Heitor Mazzoco
Por Heitor Mazzoco

O ex-secretário-executivo de Assuntos Climáticos da Prefeitura de São Paulo Antonio Fernando Pinheiro Pedro afirmou nesta quarta-feira, 24, por meio de sua conta na rede social Instagram, que a esquerda paulistana “teme” a candidatura ao Poder Executivo do deputado federal Ricardo Salles (PL-SP).

PUBLICIDADE

A afirmação de Pinheiro Pedro foi feita ao comentar sobre uma texto opinativo do jornalista Leonardo Sakamoto, do Uol, sobre o benefício de ter a candidatura do bolsonarista Salles neste ano. Para o comunicador, seria um presente para Boulos, porque dividiria votos com o atual prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB), que tentará a reeleição no pleito de outubro próximo.

“É claro que ele está revelando com isso o incômodo que a esquerda paulistana sente com a possibilidade de Ricardo Salles ser o candidato conservador”, disse Pinheiro Pedro em vídeo gravado. O ex-secretário de Nunes deixou o cargo depois de declarações sobre o aquecimento global. Ele afirmou, no ano passado, que o Planeta “se salva sozinho” e também colocou em dúvida pesquisas científicas sobre o tema.

Ex-secretário-executivo de Assuntos Climáticos da gestão Ricardo Nunes Foto: Reprodução/Youtube OAB-SP

Pinheiro Pedro afirmou ainda que trabalhará com a possibilidade de Salles ser candidato. A candidatura de Salles, por enquanto, está fria. Isso porque, o PL de Jair Bolsonaro, atual partido de Salles, declarou apoio à reeleição de Nunes ainda no fim do ano passado.

O ex-presidente Bolsonaro não deu declarações públicas até o momento sobre apoio ao atual chefe do Poder Executivo da capital. Isso, porém, é esperado para fevereiro, quando pessoas próximas do ex-presidente afirmam que ele entrará de uma vez na disputa eleitoral deste ano.

A cobrança pelo apoio de Bolsonaro foi feita publicamente por Ricardo Nunes, quando o atual prefeito disse que Bolsonaro sabe da responsabilidade que tem para ajudar no enfrentamento de uma candidatura de “extrema-esquerda”, em referência ao principal adversário que terá pela frente: Guilherme Boulos (PSOL-SP). No dia seguinte, Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, afirmou que Bolsonaro bateu o martelo e decidiu levar o partido para o grupo de Nunes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.