PUBLICIDADE

TCU aponta fragilidades no Plano Plurianual 2024-2027

Programas de qualidade da educação superior e enfrentamento da emergência climática necessitam de maiores ajustes, aponta relatoria do ministro Jorge Oliveira

Por Rafaela Ferreira

BRASÍLIA - O Tribunal de Contas da União (TCU) identificou fragilidades em parte dos programas do Plano Plurianual (PPA), proposta que indica as principais ações do governo federal nos próximos quatro anos. As falhas são referentes a indicadores e metas definidos para programas como o destinado a melhoria da qualidade na educação superior e o enfrentamento da emergência climática. A Corte de Contas analisou 19 dos 88 programas presentes no PPA 2024-2027.

PUBLICIDADE

Segundo relatório do TCU, aprovado pelo plenário do tribunal, parte das falhas estão relacionadas à relevância das ações propostas pelo Poder Executivo. “Em boa parte dos programas analisados, foram identificadas fragilidades e inadequações que podem comprometer a gestão, a transparência e o controle do plano”, diz o relatório assinado pelo ministro Jorge de Oliveira.

A auditoria feita pelo TCU não tem caráter condenatório. Mas analisa como o plano de ações para o período de 2024 a 2027 foi montado pelo governo. Na conclusão do processo, a Corte apresenta sugestões de melhoria ao Ministério do Planejamento e Orçamento e às demais Pastas que coordenam os programas analisados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.