EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores da política e da economia, com Julia Lindner e Gustavo Côrtes

Parlamentares e grupo de empresários ainda sonham com reformas em 2022

PUBLICIDADE

Por Camila Turtelli , Matheus Lara e Alberto Bombig
Atualização:

O deputado federal Tiago Mitraud (Novo/MG), que lidera a frente parlamentar da reforma administrativa. Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados

Apesar de a reforma administrativa (PEC 32) ter empacado no Congresso por causa da falta de empenho do Executivo, parlamentares ainda estão otimistas em relação a um pacote alternativo de mudanças na administração pública, de forma fatiada. Segundo eles, são quatro os projetos considerados fundamentais atualmente em tramitação: 1) supersalários; 2) reformulação dos concursos públicos; 3) "lei da meritocracia"; 4) regulamentação da avaliação de desempenho. O líder da frente parlamentar mista da reforma administrativa, Tiago Mitraud (Novo-MG), vê chances de aprovação desses projetos até o fim da atual legislatura. "Vamos nos empenhar para avançar nesse sentido", diz ele.

PUBLICIDADE

SPRINT. Grupos de empresários também não perderam as esperanças: já nos primeiros meses de 2022, irão até o Congresso, em um derradeiro esforço, na tentativa de destravar as reformas, incluindo a própria administrativa, e a tributária, a "lenda legislativa".

SPRINT 2. A ideia é tentar sensibilizar os parlamentares argumentando que a questão mais preponderante das eleições de 2022 será o debate econômico.

ATRATIVO. "É importante mostrar aos parlamentares que um movimento pelo emprego passa pelas reformas e que elas são interessante também do ponto de vista eleitoral", diz Nabil Sahyoun, do Instituto Unidos Brasil (IUB).

ASSINE AQUI. Os empresários também convidarão os presidenciáveis para assumirem compromissos com o setor.

Publicidade

CLICK. Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura

 

Cantor e compositor publicou em rede social foto de encontro que teve com Desmond Tutu, em 2007: "Salve a batina do Bispo Tutu", escreveu Gil,

CRIADOR... É consenso entre os principais articulares da política paulista que, se aceitar ser vice de Lula, Geraldo Alckmin acertará a vida de muita gente na centro-direita, abrindo caminho para a candidatura de Rodrigo Garcia (PSDB) ao Bandeirantes em 2022.

...E... Mas quais seriam os motivos capazes de fazer um dos lideres das pesquisas desistir da candidatura a governador? Um aliado de longa data de Alckmin explica um deles: o ex-tucano, melhor do que ninguém, sabe do peso da máquina pública estadual e das grandes alianças na disputa. Garcia tem esses dois atributos.

CRIATURA. Esse mesmo aliado acha que Alckmin e Garcia têm perfil muito semelhante e podem rachar o eleitorado de centro- direita, especialmente no interior do Estado. Ou seja, ambos correm o risco de ficar fora do segundo turno.

Publicidade

CIRÃO... Na retrospectiva dos presidenciáveis, Ciro Gomes (PDT) foi, disparado, quem mais se lançou em pré-campanha eleitoral neste ano. Em junho, por exemplo, ele esteve na Bahia, em locais por onde passou Antônio Conselheiro.

...CONSELHEIRO. Apesar da incansável pregação e do tom sempre messiânico, Ciro ainda não conseguiu decolar nas pesquisas. Ele tem aparecido em quarto lugar, tecnicamente empatado com Sérgio Moro.

SINAIS PARTICULARES (por Kleber Sales). Ciro Gomes, presidenciável do PDT

 

PRONTO, FALEI! João Roma, ministro da Cidadania

 

"Este é um momento em que nós devemos dar as mãos e trabalhar em benefício da população que está precisando do nosso apoio", sobre as chuvas na Bahia.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.