PUBLICIDADE

PF apreende em Natal veleiro suspeito de ter sido roubado na Europa

Investigação tem cooperação da Interpol e da Europol e aponta que capitão russo e marinheiro lituano comandavam a embarcação quando aportou no RN

PUBLICIDADE

Foto do author Karina Ferreira
Por Karina Ferreira

Um veleiro transoceânico foi apreendido no Iate Clube de Natal, no Rio Grande do Norte, por suspeita de ter sido roubado na Croácia. A apreensão foi feita pela Polícia Federal (PF) com o apoio da Marinha do Brasil no último sábado, 11, em operação para identificar e desarticular uma suposta organização criminosa.

Segundo as investigações, a embarcação teria sido alugada por russos que se passavam por turistas e teve a documentação e a matrícula adulteradas, substituídas por documentos falsificados na Rússia. O veleiro aportou em Natal em 20 de novembro, comandado por um capitão russo e um marinheiro da Lituânia. Os tripulantes teriam pago adiantado por 60 dias de permanência no Iate Clube de Natal. Uma semana depois, os dois saíram do território nacional por via aérea.

Veleiro transoceânico, ancorado no Iate Clube de Natal, consta como produto de roubo nos sistemas de repressão à criminalidade transnacional Foto: Divulgação/Polícia Federal

PUBLICIDADE

Desde então, a embarcação estaria sendo habitada por uma mulher natural na Letônia, que agora está proibida de deixar o País. Foi cumprido um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal no Rio Grande do Norte durante a operação.

As investigações indicam que o veleiro apreendido possui similaridades com a embarcação roubada na Croácia e entrou em território nacional com documentos falsificados, sendo apreendido para averiguação. As investigações seguem com cooperação da Interpol e da Europol.

Embarcação apreendida tem matrícula na Croácia e teria sido alugada para pretensos turistas russos Foto: Divulgação/Polícia Federal

Segundo a Polícia Federal, os envolvidos podem responder pelos crimes de uso de documentos ideologicamente falsos, receptação, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.