PUBLICIDADE

Randolfe deixa Rede em meio a embate com Marina sobre projeto da Petrobras na Foz do Amazonas

Anúncio é feito após parlamentar criticar decisão do Ibama sobre exploração da estatal

Foto do author Natália Santos
Por Natália Santos
Atualização:

Líder do governo Lula no Congresso, o senador Randolfe Rodrigues anunciou nesta quinta-feira, 17, a desfiliação do partido Rede Sustentabilidade, legenda a qual estava filiado desde 2015. Em nota enviada à sigla, o parlamentar afirmou que a decisão é de “caráter irrevogável”.

PUBLICIDADE

A saída de Randolfe ocorre em meio a um embate político com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. A titular da pasta se pocionou contra o processo de exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas. Randolfe é a favor. O cabo de guerra dentro do governo sobre a exploração foi revelado pelo Estadão.

No começo da tarde desta quinta, a Rede divulgou uma nota a respeito da saída do senador. Em meio a elogios sobre a trajetória de “um dos principais quadros” da sigla, o partido lamentou o gesto. “Lamentamos, mas respeitamos, a decisão do senador Randolfe de não mais permanecer nas nossas fileiras partidárias e agradecemos a esse guerreiro incansável pelo convívio.”

Nesta quarta-feira, 17, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) barrou o pedido da Petrobras para exploração.

Após decisão do Ibama, Randolfe afirmou em suas redes sociais que a orientação do órgão “não ouviu o governo local e nenhum cidadão” do Estado do Amapá. O Ibama é vinculado à pasta de Marina. A disputa

“Junto a todas as instâncias do governo federal, reuniremos todos aqueles que querem o desenvolvimento sustentável do Amapá, para de forma técnica, legal e responsável lutarmos contra essa decisão”, disse Randolfe.

No texto em anuncia a desfiliação da Rede, Randolfe cita o nome da ex-senadora Heloísa Helena, uma das fundadoras do partido, mas não faz menção ao nome de, Marina Silva, também influente na sigla.

Publicidade

Randolfe e Marina disputavam o comando da Rede, fundada com engajamento direto da hoje ministra do Meio Ambiente. O grupo de Randolfe defendia uma fusão do partido com o PT.

Confira íntegra da nota de Randolfe:

Companheiros e companheiras da REDE SUSTENTABILIDADE:

Nos últimos anos, o povo brasileiro enfrentou a sua quadra mais dramática. A Democracia, há muito conquistada, esteve sob real ameaça.

Neste período, nas ruas, nas instituições e em especial no Parlamento, o nosso partido esteve ao lado dos brasileiros lutando contra o fascismo, e cumpriu um papel histórico com amor, coragem e dedicação. Me honrará para sempre ter sido parte desta jornada épica.

Agradeço o companheirismo e o convívio deste período, em especial levo para toda a vida exemplos de lealdade ao povo, como o da companheira Heloísa Helena, que ontem, hoje e sempre me inspirará.

Minhas palavras trazem, sobretudo, gratidão. Tenho a certeza que continuaremos juntos, nas lutas por democracia, justiça e na construção de uma sociedade livre da fome e da opressão.

Dito isso peço, em caráter irrevogável, a minha desfiliação da REDE SUSTENTABILIDADE.

Publicidade

Randolfe Rodrigues

Leia a nota da Rede de Sustentabilidade

As lutas por uma sociedade democrática, justa, livre da fome e de todo tipo de opressão se dão em várias trincheiras e por vezes se compreende que mudanças de espaços devem ocorrer para que se dê sequência a essa jornada.

O senador Randolfe Rodrigues sempre foi um dos principais quadros da REDE e durante todo o período em que militou no nosso Partido nos honrou com sua postura ética e atitudes vigorosas na defesa do nosso ideário e das mais justas causas da sociedade brasileira. Seu mandato sempre foi uma referência na salvaguarda dos interesses dos trabalhadores, da cidadania, da ciência e da democracia e, por isso, é reconhecido como um dos melhores e mais atuantes parlamentares do Brasil.

Lamentamos, mas respeitamos, a decisão do senador Randolfe de não mais permanecer nas nossas fileiras partidárias e agradecemos a esse guerreiro incansável pelo convívio, pelas históricas lutas e conquistas compartilhadas com a Rede Sustentabilidade nos enfrentamentos ao autoritarismo, ao obscurantismo e, especialmente, na defesa da população frente à pandemia e a todos os males ocorridos no desgoverno Bolsonaro.

Neste momento nos cabe desejar sorte na sequência deste caminho, que com toda certeza nos proporcionará muitos reencontros e lutas em comum.

Brasília, 18 de maio de 2023.

Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.