PUBLICIDADE

PT volta a lotear fundos de pensão e coloca sindicalista no comando do Postalis

Sindicato dos Bancários emplaca mais um comando de fundo de pensão com Camilo Fernandes dos Santos, depois de João Luiz Fukunaga na Previ, do Banco do Brasil

PUBLICIDADE

Foto do author Felipe Frazão
Por Felipe Frazão
Atualização:

BRASÍLIA – O Postalis, fundo de pensão dos funcionários dos Correios, selecionou como seu novo presidente um dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, ligado ao PT. O sindicalista Camilo Fernandes dos Santos foi confirmado no cargo nesta segunda-feira, dia 17, após reunião do Conselho Deliberativo.

PUBLICIDADE

A decisão foi dividida e houve um voto de minerva da presidente do conselho, apontada pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva, para confirmar o nome de Fernandes. Ele foi indicado ao cargo pelos Correios, presidido atualmente pelo advogado Fabiano Silva dos Santos, advogado ligado ao PT e membro do grupo Prerrogativas, um grupo crítico à Operação Lava Jato e que possui integrantes em postos-chave no governo.

Fernandes será o segundo sindicalista a assumir o comando de um fundo de pensão desde a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em fevereiro, outro dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, João Luiz Fukunaga, passou a chefiar a Previ, fundo de pensão de previdência dos funcionários do Banco do Brasil, o maior do País. Fukunaga foi indicado pela presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros.

O Sindicado dos Bancários de São Paulo é um berço histórico de fundadores e dirigentes do PT, como os ex-ministros Luiz Gushiken, Ricardo Berzoini e o ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto, entre outros envolvidos em investigações, como a Operação Lava Jato, além de Sergio Rosa, ex-presidente da Previ. O sindicato acaba de promover as comemorações ao completar 100 anos. Lula fez homenagens à entidade nas redes sociais.

Postalis é um dos maiores fundos do País e foi alvo de operações contra a corrupção como a Greenfield Foto: ANDRE DUSEK|ESTADAO

Nos últimos anos, a Operação Greenfield investigou suspeitas de fraudes bilionárias em alguns dos principais fundos de pensão do País, entre eles o Postalis – que tem um patrimônio de R$ 10,6 bilhões em investimentos – e o Previ.

Os seis integrantes do Conselho Deliberativo do Postalis se reuniram às 14 horas desta segunda-feira para chancelar a escolha do dirigente sindical. Gestores ligados aos funcionários dos Correios manifestaram receio de interferência política na gestão do Postalis e disseram que será necessário fiscalizar cada ato do sindicalista, por causa do histórico recente de loteamento da entidade. Servidores apontaram a falta de experiência de Camilo Fernandes no setor de fundos de pensão, em administração de ativos e com o setor dos Correios.

O próprio Fernandes passou por longa sabatina durante a tarde. Conselheiros fizeram indagações a ele e à diretoria do Postalis sobre o processo de escolha. Parte dos conselheiros questionou os critérios do processo de recrutamento. Um deles falou, nos bastidores, em indicação política e falta de isenção.

Publicidade

Ao fim, os três conselheiros eleitos votaram contra, e os três representantes do governo, a favor. Com isso, houve um voto de minerva da presidente do Conselho Deliberativo, para selar a aprovação de Fernandes. Ele agora será apresentado à Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), para avaliação e homologação de sua indicação como presidente do Postalis.

Em nota à reportagem, o Postalis confirmou a aprovação de Camilo Fernandes dos Santos como novo presidente. Segundo o instituto, ele cumpriu todos os requisitos exigidos. O Postalis não esclareceu, por exemplo, quantos profissionais concorrem à vaga de presidente, já que houve um processo seletivo.

O nome dele foi o único no comunicado final com o resultado de um processo seletivo para presidente. Divulgado na quinta-feira, dia 13, pelo Postalis, esse documento foi assinado pela gerente de Recursos Humanos, Ana Cláudia Alves Figueiredo.

Camilo Fernandes dos Santos é diretor honorário do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, presidente da Afubesp (Associação dos Funcionários do Grupo Santander Banespa, Banesprev e Cabesp) e um dos diretores da Anapar (Associação Nacional dos Participantes de Previdência Complementar e Autogestão em Saúde).

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

“O administrador de empresas Camilo Fernandes dos Santos foi aprovado hoje (17/04), pelo Conselho Deliberativo do Postalis, como o novo presidente do Instituto, tendo cumprindo todos os requisitos exigidos: experiência comprovada (mínima três anos) de gestão nas áreas financeira, administrativa, contábil, jurídica, de fiscalização, atuarial ou de auditoria; não ter sofrido penalidade administrativa por infração da legislação da seguridade social, da previdência complementar ou como servidor público; formação de nível superior completa (graduado pela Unifei - Universidade Federal de Itajubá); não ter sofrido condenação criminal transitada em julgado e ter reputação ilibada”, afirmou o Postalis.

“O novo dirigente possui larga experiência no segmento de previdência privada, já tendo atuado como conselheiro e membro do Comitê Gestor do Banesprev. Ele também já atuou como gestor de negócios do banco Santander, Diretor-Financeiro da Geap e atualmente é Diretor de Imprensa e Divulgação da Anapar”, informou, em nota, o Postalis. “Camilo dos Santos foi o indicado pelos Correios após um processo seletivo conduzido pelo Postalis e aguarda a habilitação da Previc, órgão regulador e fiscalizador do segmento, para assumir o mandato de quatro anos. Sua posse ocorrerá após a devida habilitação pelo referido órgão.”

O presidente interino do Postalis é o diretor de Gestão Previdencial, Carlos Alberto Zachert. Em março, a composição do Conselho Deliberativo mudou após a troca na direção dos Correios, promovida pelo governo Lula. Os três novos representantes indicados pela patrocinadora do fundo assumiram. A presidente do conselho é Karina Leite Ribeiro Nassarala.

Publicidade