TSE manda Jovem Pan conceder resposta a Lula

Declarações de comentaristas da emissora foram consideradas distorcidas ou ofensivas ao petista

Foto do author Luiz Vassallo
Por Luiz Vassallo
Atualização:

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou, em três decisões, que o grupo Jovem Pan conceda direito de resposta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em razão de declarações de comentaristas da emissora consideradas distorcidas ou ofensivas ao petista. A Corte também abriu uma investigação eleitoral a pedido do PT para que seja apurado se a emissora tem tratado Lula com falta de isonomia em relação ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em editorial, a Jovem Pan afirmou que está sob “censura”. Internamente, a emissora enviou uma ordem aos comentaristas para que se abstenham de utilizar termos ofensivos contra o petista.

O TSE também abriu uma investigação eleitoral a pedido do PT para que seja apurado se a emissora tem tratado Lula com falta de isonomia em relação a Bolsonaro Foto: Wilton Junior/Estadão

PUBLICIDADE

Segundo as decisões, para cada reiteração de comentários tidos como ofensivos pela Corte haverá multa de R$ 25 mil. O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, também aceitou um pedido da campanha de Lula para que seja investigada a conduta do grupo por suposta promoção de Bolsonaro.

No recado distribuído aos comentaristas, a direção da emissora adverte: “Não devemos fazer qualquer associação entre o candidato Lula ao crime organizado”. “A direção de jornalismo reforça que aqueles que não se sentirem confortáveis com essa determinação com base em decisão da Justiça, devem nos informar para que possam ser substituídos.”

Em um editorial, a emissora afirmou estar sob censura. “É preciso lembrar que a atuação do TSE afeta não só a Jovem Pan e seus profissionais, mas todos os veículos de imprensa.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.