PUBLICIDADE

Chuva faz colégios particulares cancelarem aulas; escolas foram tomadas pela água

Santa Cruz, que fica próximo do Rio Pinheiros, ficou alagado; aulas foram canceladas nesta segunda-feira e também na terça-feira. Outros colégios particulares também suspenderam atividades por conta da chuva

Foto do author Renata Cafardo
Por Renata Cafardo
Atualização:

SÃO PAULO - Colégios particulares de elite foram tomados pelas águas com a forte chuva que atingiu São Paulo desde a madrugada desta segunda-feira, 10. Os alagamentos fizeram com que aulas fossem suspensas tanto nesta segunda quanto na terça-feira e deixaram pais perplexos com a dimensão das enchentes em bairros nobres da capital.  

“É impressionante, muita gente acha que isso só acontece no Jardim Pantanal, mas não é bem assim, toda a cidade está vulnerável”, diz Angela Almeida, mãe de João, de 16 anos, que estuda no Colégio Santa Cruz. Imagens da escola alagada correram os grupos de mães de Whatsapp durante o dia.

Colégio Santa Cruz ficou completamente alagado com o temporal desta segunda-feira, 10, em São Paulo Foto: Bruno Rocha/Fotoarena

PUBLICIDADE

O Santa Cruz, que fica numa das regiões mais nobres de São Paulo na zona oeste, amanheceu com o seu piso térreo completamente alagado. A água subiu cerca de um metro e tomou bancos, mesas e uma biblioteca que tinha acabado de ser finalizada – mas estava sem livros. O alagamento aconteceu por volta das 5 horas da manhã e os pais receberam mensagens da escola logo cedo para não levar os alunos.

A região fica perto do Rio Pinheiros e já sofreu outras enchentes, a última em 2013. Mas, segundo pais e funcionários, a dificuldade dessa vez é que a água está demorando a baixar. Segundo a direção, a razão do alagamento foram “fortes chuvas que provocaram o transbordamento do rio, aliadas à dificuldade de escoamento da água na região”.

O colégio fica perto do Rio Pinheiros, atende 3200 alunos do ensino infantil ao médio, com mensalidades que entre R$ 4 mil e R$ 5 mil. A direção informou que ainda está avaliando todos os danos e que não haverá aulas nesta terça-feira.

Colégio Santa Cruz foi tomada pela enchente nesta segunda-feira, 10 Foto: Arquivo pessoal

Grupos de estudantes têm se mobilizado ao longo do dia para formar mutirões para limpar os ambientes atingidos, mas ainda não puderam entrar no colégio. Entre as preocupações estão a eventual contaminação da água que tomou a escola.

A Beacon School, escola bilíngue que fica na Vila Leopoldina, também foi invadida pelas águas. Segundo a diretora da escola, Maria Eduarda Sawaya, o prédio está interditado por causa da enchente e não foi possível sequer entrar na unidade para saber a extensão dos danos. O colégio tem cerca de 800 alunos de fundamental 1 e 2. Não haverá aulas na escola pelo menos até quarta-feira.

Publicidade

Outro colégio particular que amanheceu ilhado foi o Porto Seguro, em sua unidade Morumbi. O enorme estacionamento da escola foi totalmente tomado pela água e ainda não há previsão sobre retorno das aulas. “Não foi tão surpresa tão grande porque já alagou outras vezes, mas a maior parte dos alunos foi até lá e descobriu lá que não haveria aula”, diz o empresário Victor Ferreira, pai de Guilherme e Felipe.

Segundo a escola, o “cancelamento das aulas nesta segunda e terça-feira não prejudicará a programação pedagógica, que será reorganizada durante o ano letivo”.

A unidade da Vila Leopoldina do Colégio Vera Cruz também suspendeu as aulas na tarde desta segunda-feira. A rua em frente ao colégio alagou, a água entrou no pátio e os alunos do ensino médio que estavam na escola foram dispensados.

A Avenues, escola internacional com mensalidades que chegam a R$ 8 mil e que fica próxima da Marginal Pinheiros, cancelou as aulas por precaução e dificuldade de acesso. Outras escolas mandaram informes aos pais avisando que faltas não seriam contadas hoje e que a atividade pedagógica também não seria prejudicada para quem não pudesse comparecer.

Avenida Sumaré, na zona oeste, sem trânsito às 18h Foto: Renata Cafardo
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.