Criminosos usam submetralhadora para sequestrar e roubar homem no Itaim Bibi

Polícia Civil analisa imagens de segurança para tentar identificar autores do crime. Uso do tipo de arma em assaltos é incomum nas cidades brasileiras

PUBLICIDADE

Por Rariane Costa
Atualização:

Criminosos portando o que aparente ser uma submetralhadora renderam e roubaram um homem de 32 anos na Rua Comendador Miguel Calfat, no Itaim Bibi, zona sul da capital. Imagens de segurança registraram o momento em que dois homens descem de um carro, revistam e obrigam pedestre a entrar no veículo na noite da segunda-feira, 26.

Polícia avalia imagens de segurança em investigações do caso Foto: Google Street View

PUBLICIDADE

No boletim de ocorrência, a vítima relatou que saiu do trabalho e, durante o caminho para casa, foi abordado por três indivíduos desconhecidos que estavam em um carro preto.

A arma utilizada aparenta ser uma submetralhadora. Em nota, a Secretaria da Segurança informou que o boletim de ocorrência registrou o armamento com um fuzil calibre .40, mas tecnicamente a descrição não se aplica. A imagem mostra um arma mais curta do que um fuzil, mas mais potente do que um revólver ou pistola, armamento mais comumente usado em assaltos nas cidades brasileiras.

Os suspeitos pegaram os pertences da vítima e exigiram os dados das contas bancárias. Em seguida, o homem foi colocado dentro do veículo mas liberado sem ferimentos pouco depois em uma avenida da região.

O caso foi registrado como roubo pela Delegacia Eletrônica e encaminhado ao 15º DP, no Itaim Bibi, área dos fatos. “Imagens de câmeras de monitoramento são analisadas e a equipe da unidade trabalha em busca de outros elementos que auxiliem na identificação e prisão dos autores”, afirma a Secretaria de Segurança Pública (SSP). A arma e os suspeitos não foram localizados.

Os bairros do Morumbi e do Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, foram as localidades da cidade onde os roubos mais cresceram em 2023 na comparação com 2022, de acordo com dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado.

Foram 133 mil roubos no ano passado ante 142 mil em 2022 em toda a cidade, uma queda de 6,7%. Olhando bairro a bairro, é possível notar que, enquanto alguns tiveram quedas significativas, outros tiveram aumento de ocorrências desse tipo. No geral, 58 dos 93 distritos apresentaram redução de roubos, enquanto o crime subiu em outros 21; em 14, houve estabilidade (com 2% ou menos de variação).

Publicidade

As maiores altas de roubos foram no Portal do Morumbi (37%) e Itaim Bibi (28%), na zona sul, assim como na Aclimação (28%), no centro expandido.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.