PUBLICIDADE

Doria e Alckmin estudam ceder Marginais à iniciativa privada

Objetivo é fazer concessão ou PPP das vias; ainda não há detalhes sobre as contrapartidas, mas a cobrança de pedágio não está descartada

Foto do author Adriana Ferraz
Por Adriana Ferraz e Juliana Diógenes
Atualização:

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital, João Doria, ambos do PSDB, se reuniram na manhã desta segunda-feira, 8, para discutir a possibilidade de ceder as Marginais do Tietê e do Pinheiros à iniciativa privada, em forma de concessão ou parceria público-privada (PPP). 

Tietê.Juntas, as Marginais somam 47 quilômetros de extensão e cortam todas as regiões da cidade de São Paulo Foto: Hélvio Romero/Estadão

PUBLICIDADE

Alckmin disse que há conversas iniciais sobre fazer uma concessão ou PPP das Marginais, uma ideia que, segundo ele, deve ser amadurecida. Após a reunião, Doria afirmou em coletiva de imprensa na Prefeitura que, embora tenha sido uma conversa preliminar, a ação está sendo desenhada com o governo do Estado. 

O pedido de início de estudos dessa natureza partiu da Prefeitura, após o entendimento de que o governo do Estado já tem expertise em concessões rodoviárias e poderia colaborar tecnicamente com a formatação do melhor tipo de parceria com a iniciativa privada.

Não foi divulgado, no entanto, qual seria o objeto exato dessa parceria e quais são os serviços que a Prefeitura quer repassar aos parceiros privados. A gestão Doria vem buscando alternativas para financiar o recapeamento das Marginais. Somadas, as duas vias têm 41 quilômetros de extensão – o que daria 82 quilômetros de recapeamento, em alguns trechos com até 11 faixas de rodagem.

Alckmin disse que há conversas iniciais sobre fazer uma concessão ou PPP das Marginais, uma ideia que, segundo ele, deve ser amadurecida Foto: Felipe Rau/Estadão

Não há detalhes também sobre as formas de remuneração da parceria, mas a cobrança de pedágio não foi totalmente descartada.

Não há nenhuma decisão sobre pedágio, e isso nem foi mencionado na reunião”, disse o prefeito. Doria ressaltou que não descarta possibilidades antecipadamente, mas destacou que “por enquanto (a cobrança de pedágio) nem é objeto de debate”.

Técnicos. Além do prefeito e do governador, a conversa foi feita pelo corpo técnico das duas gestões. Estiveram ali Giovanni Pengue Filho, diretor-geral da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp); e Eduardo Camargo, diretor-presidente da Concessionária ViaOeste, do Grupo CCR, que administra as Rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares; além dos secretários municipais de Serviços e Obras, Marcos Penido; Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda; e Justiça, Anderson Pomini.

Publicidade

Raia olímpica da USP terá grade no lugar de mureta 

A mureta que separa a raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP) e a Marginal do Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, será substituída por uma grade que permite a visão do leito da raia. A área também deverá passar por um tratamento paisagístico.

A mudança, divulgada nesta segunda pelo prefeito João Doria (PSDB), também é resultado de uma das parcerias com a iniciativa privada que vêm sendo acertadas pela Prefeitura. Desta vez, os custos serão pagos por uma operadora de planos de saúde. 

De acordo com a Prefeitura, o chamamento público que viabilizará a iniciativa foi feito pela USP no mês passado. A instalação das novas grades foi estimada em pelo menos R$ 1,6 milhão. Já o tratamento paisagístico, com a troca da iluminação, ficará em mais R$ 160 mil.

Não foi informado quando a retirada do muro vai começar. O trabalho deverá ser feito à noite, para não atrapalhar o trânsito. A expectativa é de que toda a obra deverá estar pronta ainda no segundo semestre deste ano, segundo a Prefeitura. / COLABOROU BRUNO RIBEIRO

Correções

O texto acima foi atualizado às 11h41 e novamente às 18h26 desta terça-feira, 9, para correção dos nomes do diretor-presidente da Concessionária ViaOeste, do Grupo CCR e do diretor-geral da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), que estiveram presentes em reunião com o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Diferentemente do informado no texto original, os nomes são Eduardo Camargo e Giovanni Pengue Filho, respectivamente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.