PUBLICIDADE

Lula suspende folga na Bahia e anuncia viagem a SP para visitar áreas afetadas pela chuva

Segundo o presidente, Defesa Civil nacional e Forças Armadas foram acionadas para ajudar no apoio às vítimas; além de Lula, presidente do Congresso também presta solidariedade

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva suspendeu sua folga de carnaval na Bahia e vai visitar as áreas afetadas pela chuva forte no litoral norte de São Paulo nesta segunda-feira, 20. Lula deve supervisionar a comitiva federal que vai desembarcar na área mais afetada pela chuva. Trinta e seis mortes foram confirmadas até o momento, 228 pessoas estão desalojadas e 338, desabrigadas, de acordo com o balanço oficial do governo do Estado.

PUBLICIDADE

De acordo com a agenda divulgada pelo Palácio do Planalto, a previsão era de que o presidente deixasse Salvador no início da manhã e pousasse em São José dos Campos (SP) por volta das 10h. De lá, Lula fará um sobrevoo na área afetada, pousando em São Sebastião, município que registrou mais de 600mm de chuva em menos de oito horas.

“Conversei hoje com o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, com o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, e com o prefeito Felipe Augusto após as fortes chuvas no litoral de São Paulo, em especial na cidade de São Sebastião”, escreveu Lula em sua conta no Twitter no domingo, 19. “Amanhã irei para São Paulo visitar a região e acompanhar os esforços de enfrentamento dessa tragédia.”

Ainda de acordo com a agenda oficial divulgada pelo Planalto, o presidente deve se reunir às 10h30 com lideranças e autoridades locais no Teatro Municipal de São Sebastião, no centro da cidade.

Lula estava desde sexta-feira na Bahia, onde passa o recesso do carnaval na Base Naval de Aratu. O presidente afirmou que acionou a Defesa Civil nacional e as Forças Armadas. Segundo eles, os órgãos “estão à disposição e atuando para ajudar no que for necessário e somar esforços ao governo de São Paulo e prefeituras no auxílio às vítimas”.

“Vamos reunir todos os níveis de governo e, com a solidariedade da sociedade, atender feridos, buscar desaparecidos, restabelecer as rodovias, ligações de energia e telecomunicações na região. Meus sentimentos às famílias que perderam pessoas queridas nesta tragédia”, afirmou o presidente.

O ministro da Integração Regional, Waldez Góes, também vai visitar as áreas atingidas por fortes temporais nesta segunda-feira. A visita será feita junto ao secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff. “Nas próximas horas, a Defesa Civil Nacional se desloca para a região para dar apoio às ações de socorro e resposta à população. Também faremos, de forma sumária, o reconhecimento de situação de emergência em São Sebastião”, disse em uma rede social.

Publicidade

No Twitter, o vice-presidente Geraldo Alckmin, que já foi governador de São Paulo, comentou a tragédia no litoral norte. “Expresso minha solidariedade aos moradores do litoral norte de SP que sofrem transtornos e perdas em função das fortes chuvas. O governo federal, por meio da Defesa Civil nacional, e do Ministério de Desenvolvimento Regional, acompanha a situação e determinou o deslocamento do GADE, Grupo de Apoio a Desastres, ao Estado”, escreveu.

O presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco, também se manifestou em solidariedade às vítimas. Além de dar seus sentimentos, o parlamentar pediu celeridade do governo para lidar com a situação. “Que a mobilização governamental seja a mais rápida possível para prestar o socorro devido aos atingidos no menor espaço de tempo”, disse em sua postagem no Twitter.

Neste domingo, 19, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), pediu apoio às Forças Armadas para ajudar no socorro às vítimas das fortes chuvas que atingiram o litoral do Estado. O Comando Militar do Sudeste disponibilizou duas aeronaves para socorrer as vítimas e técnicos do Batalhão de Engenharia de Pindamonhangaba atuarão nos trabalhos de desobstrução da BR-101.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.