Universidade Zumbi dos Palmares lança ensino técnico para jovens e cursos 60+; veja quais

Parceria com a Senai vai oferecer 5 mil vagas voltadas para o ensino profissionalizante; idosos vão aprender inicialmente a usar as redes sociais

PUBLICIDADE

Foto do author Gonçalo Junior
Por Gonçalo Junior
Atualização:

A Universidade Zumbi dos Palmares, instituição que há duas décadas se dedica à inclusão étnico-racial no ensino superior, lançou nesta segunda-feira, 13, cursos técnicos gratuitos para jovens negros. Em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), a entidade vai oferecer cinco mil vagas de cursos profissionalizantes para jovens em diversas áreas.

O reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, professor José Vicente, anuncia o lançamento de cursos profissionalizantes Foto: Taba Benedicto/Estadão

PUBLICIDADE

Os novos cursos marcam o lançamento oficial do Colégio Dandara de Palmares, realizado na sede da universidade, com participação das entidades parceiras e apoiadoras. As inscrições são feitas por meio de um formulário na página da universidade.

“As vagas serão oferecidas ao longo dos próximos cinco anos, mas queríamos estabelecer essa ação inicial para começar a promover a inclusão desses jovens no ensino técnico gratuito, de qualidade e que garanta qualificação e empregabilidade”, afirma o reitor José Vicente.

As aulas são presenciais. No campus da universidade, serão oferecidos os cursos de pizzaiolo, desenvolvedor digital, modelagem de moda e climáticos (meio ambiente). Nas unidades do Senai da região central, serão outros dez cursos nas áreas de energia, beleza, gastronomia, entre outras.

A iniciativa também procura contribuir com a equidade de gênero no mercado de trabalho – metade das vagas dos cursos será destinada às mulheres.

O foco da formação é a chamada “geração Z”, formada por nascidos entre 1990 e 2010. São nativos digitais, ou seja, nasceram e cresceram em um mundo marcado pelos avanços tecnológicos, pelo uso de dispositivos móveis e acesso facilitado à internet.

“Para nós, essa geração é “Z” de Zumbi, ou seja, tem de estar preparada para liderar, transformar e empreender”, afirma Carlos Beltrão, CEO do Ecossistema Black, área que reúne diversas iniciativas da Zumbi.

Publicidade

Foco na capacitação da população 60+

Paralelamente ao foco nos jovens, a Zumbi também anunciou a criação da Universidade da Melhor Idade, voltada para a população acima de 60 anos.

O primeiro curso vai envolver o ensino de tecnologia básica para uso de redes sociais e aplicativos. A universidade vai promover ainda palestras educativas e motivacionais sobre saúde das pessoas pretas, lazer, cultura, história. A programação, estrutura dos cursos e formas de inscrição serão divulgadas nas próximas semanas. Os cursos também serão presenciais.

Segundo o reitor, o objetivo é que o idoso possa usufruir do espaço da universidade e adquirir novos conhecimentos que serão facilmente aplicáveis no dia a dia, como a criação de redes de relacionamentos.

* Este conteúdo foi produzido em parceria com a Universidade Zumbi dos Palmares, instituição promove a inclusão étnico-racial no ensino superior brasileiro há duas décadas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.