Entenda como funciona teste de fertilidade feito por Fábio Porchat

Enquanto o teste de farmácia só apresenta a quantidade de espermatozoides, o exame de espermograma feito em laboratórios verifica a morfologia e motilidade dos gametas masculinos

PUBLICIDADE

Foto do author Renata Okumura
Por Renata Okumura
Atualização:

A fertilidade dos homens depende de uma série de fatores, desde a parte hormonal – da produção de espermatozoides, que se chama espermatogênese – até a parte anatômica do trato genital, garantindo que o espermatozoide que foi formado adequadamente chegue até a ponta da uretra, por onde sai no ato da ejaculação.

PUBLICIDADE

Durante a entrevista ao podcast Quem Pode, Pod, apresentado por Giovanna Ewbank e Fernanda Paes Leme, o humorista Fábio Porchat revelou que descobriu que não podia ter filhos naturalmente ao fazer um teste de fertilidade comprado em uma farmácia dos Estados Unidos e depois também realizar um exame laboratorial.

“Estou andando pela farmácia e daqui a pouco eu olho e tem um teste de fertilidade para homens. Ah, vou comprar. Achei curiosíssimo. Paguei uns US$ 40. Voltei de viagem e deixei lá. Depois de seis meses, um dia mexendo nas minhas coisas eu vi o teste e fiz. Foi um trâmite para fazer”, contou Porchat.

O humorista disse que apareceu resultado com baixa contagem de espermatozoides. Ele decidiu procurar um urologista depois de alguns meses e realizou um espermograma, no qual também se constatou uma contagem baixíssima de gametas masculinos.

“Isso não tem a ver com a quantidade de esperma que sai, mas sim com a quantidade de espermatozoide. O meu deu tipo 2 milhões. Deu baixíssimo, quase inconclusivo”, afirmou o comediante. O médico explicou que ele só poderia ter filhos com tratamento de fertilização. Sem pensar em filhos no momento, ele e a mulher, Nataly Mega, já realizaram o processo de congelamento de óvulos fecundados.

Rafael Neri, médico urologista do Hospital Samaritano e especialista em cirurgia robótica, acrescenta que sempre que o resultado dá abaixo de 5 milhões de espermatozoides por mililitro de sêmen, condição classificada como oligozoospermia grave, é preciso que a investigação seja complementada.

“É necessário para entendermos o motivo da baixa produção de espermatozoides. Existem algumas síndromes e alterações genéticas que podem provocar isso”, afirma Neri.

Publicidade

Ainda com relação aos valores de referência, de 5 a 15 milhões/ml, o teste está na faixa intermediária e, acima de 15 milhões/ml, o resultado é considerado como normal.

A fertilidade masculina se inicia com a puberdade, quando ocorre, por meio do estímulo hormonal da testosterona, o desenvolvimento físico e sexual masculino. “Neste ponto, iniciamos nosso período fértil, que se estende até a sétima década de vida, quando a andropausa se inicia e a produção de espermatozoides se encerra”, explica Luccas Goes, médico urologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Além da contagem por mililitro de esperma, exame realizado em laboratórios também verifica a morfologia e motilidade dos espermatozoides. Foto: Pixabay

Veja como funciona o exame para homens e quando realizar

Segundo Rafael Neri, do Hospital Samaritano, o teste de fertilidade de farmácia é pouco indicado. “Praticamente não indicamos a realização do teste de fertilidade de farmácia. O único benefício que traz é a coleta do sêmen na privacidade do lar do paciente, sem a necessidade dele ir até um consultório, mas avalia exclusivamente a quantidade de espermatozoides”, afirma. “Pelo teste de farmácia, se tiver acima de 15 milhões/ml de espermatozoides, o resultado é favorável. Mas esta não é a melhor forma de se avaliar a produção de espermatozoide do homem.”

Para o especialista, em laboratório específico, com profissional capacitado, é possível verificar quantos espermatozoides há, se a morfologia está normal e se movimentam da forma adequada, com os critérios recomendados.

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

“O espermograma é o principal exame para todas estas informações. Pro meio dele, é possível analisar a qualidade, além da quantidade de espermatozoides. Neste exame, avaliam-se critérios macroscópicos e microscópicos, como volume, concentração, motilidade (tem quantidade normal, mas todos imóveis), vitalidade e morfologia dos espermatozoides, possibilitando a avaliação geral da qualidade do sêmen”, acrescenta Neri.

“No caso de o paciente fazer o exame de laboratório em local não tão qualificado e vier alterado, a gente não considera esse exame como negativo. Precisamos, em algumas situações, repetir até três vezes mostrando realmente uma baixa concentração de espermatozoides por ml”, pontua o neurologista do Hospital Samaritano.

Cesar Zillo, urologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, lembra ainda que para o paciente realizar o exame de espermograma em laboratório é necessário estar seis dias sem ejacular. “Em um prazo maior que esse, o espermatozoide perde a qualidade. E caso a pessoa ejacule na véspera, a contagem será menor que a considerada normal”, disse ele.

Publicidade

Vale lembrar que o teste de espermograma não é um exame solicitado em rotina médica. Normalmente, pode ser requisitado para pacientes que realizam vasectomia, para verificar a efetividade do procedimento, ou que estejam tentando ter filho há pelo menos um ano.

Toda vez é feita a coleta de sêmen para análise, seja por espermograma ou teste de farmácia, algumas orientações são passadas - e valem para ambos os métodos:

- A coleta é realizada através de masturbação.

- Sempre é recomendada a higienização do pênis e das mãos antes da coleta.

- Período de abstinência sexual de 3-6 dias (varia de laboratório).

- Se estiver em uso de antibiótico, esperar 2 semanas após o término para colher.

- Informar todas as medicações em uso no dia da coleta ou ao seu médico.

Publicidade

- Não usar lubrificantes.

No caso do teste de farmácia, em geral, o sêmen fica em um recipiente por 10 minutos. Após isso, o paciente coleta com uma pipeta o sêmen até a marca recomendada, transfere para um frasco com o diluente e espera por 2 minutos. Feito isso, ele pinga 2 gotas da solução no local do teste e aguarda entre 5 e 10 minutos para obter o resultado.

“Lembrando que esse teste diz apenas se existem “15MM/ml ou não de espermatozoides”, não sendo eficaz para a avaliação da infertilidade masculina, haja vista que necessitamos de informações com relação a morfologia, vitalidade e anatomia dos espermatozoides para entender isso”, explica Neri.

Descoberta de baixa quantidade de espermatozoides pode ajudar o paciente que deseja ter filhos

“No caso de um paciente que está há um ano tentando ter filhos e não consegue, realizamos uma investigação com espermograma, assim como exames hormonais e exames de imagens para verificar se tem alguma alteração anatômica ou estrutural que justifique isso. Não havendo nenhuma alteração genética, é possível fazer a coleta de espermatozoides, mesmo em quantidade baixa, fazer o congelamento ou já partir para o tratamento de fertilização”, acrescenta Neri.

Para os casais que estão tentando ter filhos, além do homem, a mulher também deve ter acompanhamento médico. “A mulher precisa realizar os exames solicitados pelo ginecologista para saber como está sua fertilidade, enquanto o homem deve realizar pelo menos o espermograma para saber se tem a quantidade e a qualidade de espermatozoides da forma correta”, orienta Zillo.

Para Luccas Goes, urologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, o teste de espermograma feito em clínicas especializadas e laboratórios também pode ser solicitado quando se envolvem outras situações de pacientes.

“Para aqueles casais em que a mulher tem mais de 35 anos e não engravidou após seis meses tentando. Também pedimos quando na família há casos de infertilidade masculina, da mesma forma quando o homem tem o diagnóstico de varicocele (dilatação das veias que drenam o sangue dos testículos) que promove a infertilidade pelo aquecimento das células de Sertoli (que produzem os espermatozoides), alterando sua qualidade e quantidade produzida”, disse. “Principalmente em casos de varicocele em adultos jovens, a correção cirúrgica pode solucionar o problema completamente”, acrescenta.

Publicidade

Contagem de espermatozoides dos homens está caindo no mundo todo

Em todo o mundo, a contagem de espermatozoides está caindo a um ritmo acelerado depois de uma redução de 50% nos últimos 40 anos, revela estudo publicado neste mês na revista Human Reproduction Update. O levantamento inclui dados de mais de 57 mil homens coletados em 223 estudos em 53 países, tornando-se a maior meta-análise já realizada sobre o assunto.

Entre 1973 e 2018, a concentração de espermatozoides em homens não sabidamente inférteis caiu mais de 51%, de 101,2 milhões para 49 milhões de espermatozoides por milímetro de sêmen, de acordo com o novo estudo.

“Tem existido uma diminuição desta contagem de espermatozoides em homens de diversos países do mundo. Ainda não sabemos o real motivo, mas muito provavelmente tem relação com a poluição. Não somente de fumaça, mas a poluição de microplásticos que temos no nosso organismo por meio da ingestão de cigarros, bebidas alcoólicas e, compostos aromáticos, por exemplo”, avalia Zillo, urologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.