PUBLICIDADE

Governo fará vacinação nas escolas a partir de março, diz ministra da Saúde

Ações serão voltadas à atualização da caderneta de vacinação, o que incluirá doses contra dengue e outras doenças

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O Ministério da Saúde planeja realizar a vacinação de crianças e adolescentes em escolas públicas a partir da segunda quinzena de março e em abril. A ação envolverá a atualização da caderneta de vacinação para todas as doenças, inclusive a dengue, no caso do público-alvo da campanha atual.

PUBLICIDADE

“Nós estamos organizando uma ação pelo Programa Saúde nas Escolas, que é uma ação conjunto do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação”, afirmou a ministra da Saúde, Nísia Trindade, ao ser questionada por jornalistas em uma agenda pública do “Dia D Contra a Dengue” em Serra, no Espírito Santo.

A ministra voltou a declarar que o governo federal comprou todo o estoque possível de vacinas contra a dengue. Também destacou que há um trabalho para que laboratórios brasileiros, sob a liderança da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), possam produzir o imunizante. “Mas isso não é uma solução imediata”, salientou.

O Brasil ultrapassou a marca de 1 milhão de casos de dengue nesta semana, com 214 mortes confirmadas. Hoje, a aplicação de vacina contra a doença na rede pública é voltada a crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, exclusivamente para alguns municípios brasileiros mapeados. Em São Paulo, estão incluídas as cidades de Guarulhos, Suzano, Mogi das Cruzes e Poá, dentre outras.

Ministra Nísia Trindade (ao centro) anunciou ações de vacinação em escolas Foto: Julia Prado/Ministério da Saúde

A ação de vacinação envolverá escolas públicas parceiras. A aplicação de vacinas em instituições de ensino já foi adotada em outras ocasiões pela pasta e é realizada, hoje, por algumas prefeituras. Em Guarulhos, na Grande São Paulo, por exemplo, a campanha contra a dengue tem incluído aplicações em escolas municipais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.