PUBLICIDADE

Hepatite autoimune: entenda a doença que matou a campeã da Libertadores 2022 de Futsal

Pietra Medeiros, de 20 anos, ala do Taboão Magnus, morreu na última sexta-feira após não resistir a um transplante de fígado; atleta que, ainda em 2022, foi campeã da Libertadores com a equipe paulista, sofria da doença

PUBLICIDADE

Foto do author Renata Okumura
Por Renata Okumura
Atualização:

Causada por um distúrbio do sistema imunológico, a hepatite autoimune (HAI) é uma doença não contagiosa que passa a reconhecer as células do fígado (principalmente hepatócitos) como estranhas e desencadeia uma inflamação crônica e destruição progressiva das mesmas. Geralmente, atinge mais mulheres entre 20 e 30 anos.

Na última sexta-feira, a jogadora de futsal Pietra Medeiros, que defendia o Taboão Magnus, morreu aos 20 anos, vítima da doença. Aatleta que, ainda em 2022, foi campeã da Libertadores com a equipe paulista, estava internada há mais de 10 dias por causa da enfermidade. Na mesma semana, ela realizou um transplante de fígado, porém não resistiu.

Pietra Medeiros, de 20 anos, ala do Taboão Magnus, morreu na última sexta-feira Foto: Reprodução/ Instagram Futsal feminino Taboão

PUBLICIDADE

O que é a hepatite autoimune?

A hepatite autoimune (HAI) é uma doença necroinflamatória crônica do fígado, cujos agentes desencadeantes ainda não estão estabelecidos. Geralmente manifesta-se entre os 20 e 30 anos de vida. O sistema imune passa a reconhecer as suas próprias células como estranhas e as ataca, provocando diminuição ou parada do funcionamento do fígado.

"A hepatite autoimune tem duas formas de apresentação. O tipo 1 e o tipo 2. O primeiro caso se manifesta na adolescência, quando começa o estirão da puberdade e hormônios, que destrói o fígado até os 20 anos, ou até mesmo antes, nesses anos de transplante hepático. E o tipo 2, que se manifesta geralmente entre os 20 e 30 anos", afirma Eloiza Quintela, cirurgiã de Transplantes Hepáticos no Hospital 9 Julho, em São Paulo.

O que causa a doença?

A causa da doença é pouco conhecida; provavelmente, decorrente da interação entre predisposição genética e agente desencadeador externo (infecciosos, medicamentos ou toxinas).

Publicidade

É contagiosa?

Não é contagiosa. Porque são auto anticorpos gerados naquela pessoa etem relação genética/familiar.

Quais são os principais sintomas?

  • Dores nas articulações ou no abdômen do lado do fígado;
  • Líquido no abdômen;
  • Náusea ou vômitos;
  • Fadiga, mal-estar ou perda de apetite;
  • Pele e olhos amarelados.

Por que no caso da jogada brasileira de futsal se agravou tão rápido?

A hepatite autoimune pode se manifestar de forma grave - fulminante com destruição maciça do fígado onde a única solução passa ser o transplante do órgão. "Afeta mais mulheres jovens na faixa dos 20 a 30 anos. Afeta mais o sexo feminino na proporção de 3 mulheres para 1 homem", acrescenta Eloiza.

Como é feito o diagnóstico?

Publicidade

O diagnóstico é realizado com histórico clínico e dosagens de anticorpos no sangue, biópsia hepática, se necessário.

Há tratamento?

Sim. Geralmente o tratamento inclui corticosteróides e imunossupressores. A HAI não tratada apresenta mau prognóstico, com taxas de sobrevida em 5 e 10 anos, de 50% e 10%, respectivamente. "Até 40% dos pacientes com doença grave não tratada evoluem para óbito dentro de seis meses do diagnóstico e há evolução para cirrose hepática em ao menos 40% dos sobreviventes. A sobrevida dos pacientes que respondem ao tratamentoé semelhante à da população normal e excede 80% em 20 anos, de acordo com as recomendações da Sociedade Americana para o Estudo das Doenças Hepáticas (AASLD)e diretrizes da Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH)". Conforme a cirurgiã de Transplantes Hepáticos no Hospital 9 Julho, em São Paulo, há tratamento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.