PUBLICIDADE

Suplementos de colágeno valem a pena? Veja o que a ciência diz

Esse tipo de suplementação ficou cada vez mais popular nos últimos anos, com marcas alegando a possibilidade de melhorar a saúde das unhas, da pele e do cabelo

Por Dra. Trisha Pasricha

THE WASHINGTON POST – “Sempre vejo pessoas recomendando suplementos de colágeno nas redes sociais. O que é colágeno? Ele realmente pode deixar a pele e o cabelo mais saudáveis?”

PUBLICIDADE

O colágeno é uma proteína encontrada em muitas partes do corpo: nas cartilagens, nos ossos, nos tendões e na pele. Ele ajuda a construir uma estrutura que preserva a integridade da pele. Mas, à medida que envelhecemos, produzimos menos colágeno. Isso contribui para que a pele pareça menos elástica – até mesmo flácida – e para que as rugas se formem com mais facilidade.

A suplementação com colágeno foi ficando cada vez mais popular nos últimos anos, com marcas afirmando que ele pode melhorar a saúde das unhas, da pele e do cabelo. Mas não há evidências fortes por trás dessas afirmações.

Suplementos de colágeno podem ser encontrados em forma de pó ou cápsulas. Foto: Yulia Lisitsa/Adobe Stock

Embora vários estudos sobre a suplementação de colágeno apontem para o aumento da elasticidade da pele e a melhoria das rugas, os dados muitas vezes são camuflados pela confusão no desenho do estudo, pela falta de evidências microscópicas objetivas ou pelo financiamento direto das pessoas que vendem os produtos. Não há nenhum estudo que demonstre que os suplementos previnam as rugas.

Os suplementos de colágeno parecem seguros. Mas sempre tomo cuidado com suplementos desnecessários ou ineficazes. Então, meu conselho é gastar seu dinheiro em dois produtos que são respaldados por evidências muito mais fortes: protetor solar e retinóides.

Aplicar protetor solar diariamente é a melhor coisa que você pode fazer para ter uma pele saudável. Já se demonstrou que os retinóides – que são compostos derivados da vitamina A – bloqueiam a degradação do colágeno no nível molecular, ao mesmo tempo em que aumentam sua produção. E vários estudos comprovaram que os retinóides melhoram as rugas, a textura e a elasticidade da pele.

“Essas duas coisas têm os dados mais sólidos e são relativamente baratas e fáceis de adotar”, diz Temitayo Ogunleye, professora associada de dermatologia clínica na Penn Medicine, em entrevista por e-mail.

Publicidade

Como o corpo absorve o colágeno?

Os suplementos de colágeno são produzidos pela extração da proteína de tecidos animais, como ossos de gado ou escamas de peixe. O colágeno é vendido em pó e comprimidos, bem como em barras de proteína, cremes para café e cremes tópicos. Minha opinião: se você quiser usar colágeno, pelo menos evite estes últimos.

Os cremes tópicos não penetram na camada mais profunda da pele onde o colágeno é necessário. Pós ou comprimidos ingeridos têm – teoricamente – maior probabilidade de atingir essa camada se forem absorvidos pela corrente sanguínea a partir do intestino. Mas o processo não é tão simples assim.

Colágeno hidrolisado é um termo muitas vezes encontrado nos rótulos de suplementos famosos. Quando o colágeno é hidrolisado – um processo que quebra suas ligações químicas –, os produtos resultantes são pequenos fragmentos, ou peptídeos, que o corpo absorve com mais facilidade do que a estrutura de hélice tripla do colágeno intacto.

Mas o colágeno não é absorvido como uma molécula inteira. Ele é decomposto em outros peptídeos naturalmente durante o processo de digestão.

Não temos controle do que acontece a seguir. Esses peptídeos podem ser reorganizados e direcionados para outras partes do corpo para formar proteínas totalmente diferentes do colágeno original. Em outras palavras, não temos como garantir que vão se transformar em colágeno exatamente no local dos nossos indesejados pés de galinha.

A ciência fundamenta o uso dos suplementos de colágeno?

Alguns ensaios clínicos e meta-análises sobre suplementos de colágeno parecem positivos em termos de benefícios para a pele. Mas é difícil concluir que o motivo seja o suplemento de colágeno.

“Muitos dos estudos usam suplementos com outros ingredientes, o que dificulta descobrir qual ingrediente está contribuindo para as mudanças percebidas”, conta Ogunleye. “Também não há padrão para medir as melhorias”.

Publicidade

A maioria dos estudos foi realizada apenas em mulheres e não temos muitos dados sobre o efeito da suplementação entre pessoas com tons de pele mais escuros. (O envelhecimento na pele mais escura às vezes pode se manifestar mais como descoloração do que como rugas).

Nenhum evento adverso grave foi relatado na literatura recente.

Os suplementos de colágeno ajudam na saúde das articulações?

Vários (embora não todos) ensaios randomizados controlados por placebo descobriram que os suplementos de colágeno melhoram os sintomas em pessoas com osteoartrite, uma doença na qual a cartilagem articular se deteriora.

Mas os estudos têm limitações, como vínculos com a indústria farmacêutica e curto prazo de duração. Se você estiver sentindo dores nas articulações, converse com um profissional de saúde sobre seus sintomas e sobre tratamentos amparados por evidências mais fortes, como exercícios físicos.

Como posso melhorar a produção de colágeno na minha pele?

Os retinóides não são para todo mundo – em alguns casos, podem causar vermelhidão e irritação na pele. Outras maneiras valiosas de melhorar a produção de colágeno são:

  • Use proteção solar. Pessoas mais jovens que estão tentando ser proativas – e talvez estejam divulgando suplementos de colágeno nas redes sociais – ainda devem se concentrar na proteção solar, disse Natasha Atanaskova Mesinkovska, vice-presidente de pesquisa clínica em dermatologia da Universidade da Califórnia, em Irvine, e autora principal de um artigo de revisão sobre suplementação de colágeno.
  • Evite cigarro e poluição. Biópsias de pele revelaram que fumar está associado à produção mais lenta de colágeno e ao aumento de uma enzima que o decompõe. As partículas da poluição do ar podem produzir resultados semelhantes ao envelhecimento prematuro da pele.
  • Tenha seu sono de beleza. Há muito se sabe que a privação do sono afeta a aparência da pele, e estudos descobriram que esse problema também causa alterações inflamatórias que podem atingir indiretamente a integridade do colágeno.

O que quero que meus pacientes saibam

Certos alimentos são ricos em colágeno – notadamente, caldo de ossos ou carne vermelha –, o que pode parecer uma alternativa convidativa para pessoas que procuram um remédio “natural”. Mas não recomendo uma dieta rica em carne vermelha para rejuvenescer a pele, porque há vários riscos à saúde associados a ela, como o câncer de intestino.

Publicidade

Trisha Pasricha é médica e jornalista. Ela é instrutora de medicina na Harvard Medical School. / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.