PUBLICIDADE

Chacina no DF: polícia prende quinto suspeito de participar de assassinato de família

Segundo a polícia, homem de 25 anos, conhecido como ‘Galego’, teria envolvimento com quadrilha responsável pelos crimes

Foto do author Renata Okumura
Por Renata Okumura
Atualização:

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu na madrugada desta quinta-feira, 26, o quinto suspeito de ter participado do crime que resultou na morte de 10 pessoas da mesma família do Distrito Federal. Trata-se de um homem de 25 anos, que foi preso em Itapoã, no Distrito Federal. Todas as vítimas já foram encontradas e identificadas pela polícia. Até o momento, cinco pessoas foram presas.

PUBLICIDADE

De acordo com a investigação, o suspeito conhecido como “Galego” teria envolvimento com a associação criminosa que praticou os crimes de extorsão mediante sequestro, agravada pelo resultado morte, ocultação de cadáver e corrupção de menores. O nome do quinto suspeito preso não foi divulgado.

Na tarde de quarta-feira, 25, o quarto suspeito de ter participado do crime se entregou à polícia. Carlomam dos Santos Nogueira, de 26 anos, se entregou à delegacia do município de São Sebastião, em Brasília, horas depois da PCDF anunciar uma recompensa de R$ 20 mil para quem ajudasse na prisão dele. Depois, foi transferido para o 6ª DP (Paranoá), onde permanece preso. Ele é tratado como possível arquiteto dos crimes, que vieram à tona no último dia 16.

Quinto suspeito foi transferido para o 6ª DP (Paranoá), onde permanece preso. Foto: Google Street View

Conhecido pelo apelido de “Carlinhos”, ele estava foragido desde a semana passada, quando as autoridades prenderam, no dia 17 de janeiro, Horácio Barbosa, Gideon Batista de Menezes e Fabrício Silva Canhedo pelos crimes de extorsão qualificada pelo resultado morte e associação criminosa.

Segundo as investigações, os criminosos teriam recebido R$ 100 mil pelos crimes. Horácio declarou que os assassinatos foram arquitetados por Marcos e Thiago e que os dois contrataram o grupo para cometer os homicídios. Com a confirmação da morte de ambos, essa tese tem diminuído de força entre os investigadores.

De acordo com a polícia, os assassinatos podem ter sido motivados por dinheiro. Renata, mãe de Thiago e esposa de Marcos, teria vendido um imóvel no valor de R$ 400 mil, e a cabeleireira Elizamar também teria feito um empréstimo no valor de R$ 100 mil. Segundo as investigações, os altos valores podem ter atraído os criminosos, que trabalhavam para a família vítima da chacina.

Lista das vítimas mortas e identificadas:

  • Elizamar da Silva, de 39 anos (esposa de Thiago);
  • Rafael e Rafaela, gêmeos de 6 anos, e Gabriel, de 7 anos (filhos de Elizamar com Thiago);
  • Marcos Antônio Lopes de Oliveira, de 54 anos (sogro de Elizamar e pai de Thiago);
  • Thiago Gabriel Belchior de Oliveira, de 30 anos (marido de Elizamar);
  • Cláudia Regina Marques de Oliveira, de 55 anos (ex-esposa de Marcos Antônio; não era mãe de Thiago);
  • Renata Juliene Belchior, de 52 anos (sogra de Elizamar e mãe de Thiago);
  • Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos (cunhada de Elizamar e irmã de Thiago);
  • Ana Beatriz Marques de Oliveira, de 19 anos (filha de Cláudia com Marcos - Vista pela última vez em 13 de janeiro).

Publicidade

Relembre o caso

A cabeleireira Elizamar foi vista pela última vez no dia 12 de janeiro. Junto com três filhos menores do casal - um menino de 7 anos e os gêmeos de 6 anos -, ela foi à cidade de Paranoá para se encontrar com Thiago, que estava na casa dos pais dele.

No dia seguinte, o carro de Elizamar foi encontrado carbonizado com quatro corpos dentro, em Cristalina, Goiás. Por meio de exames de DNA e da arcada dentária foram identificados os corpos da cabeleireira e dos três filhos, Rafael e Rafaela, de 6 anos, e Gabriel, de 7 anos, em 19 de janeiro.

No dia 18 de janeiro, um corpo foi encontrado esquartejado na casa em Planaltina que teria servido de cativeiro para parte da família. Após a identificação também no dia 19, a polícia divulgou que se tratava de Marcos Antônio, sogro de Elizamar e pai do Thiago.

No dia 14 de janeiro, o carro de Marcos Antônio, pai de Thiago, também foi encontrado carbonizado com mais dois corpos dentro, na cidade de Unaí, em Minas Gerais. Segundo laudo divulgado na última terça-feira, 24, os restos mortais são de Renata Juliene Belchior, de 52 anos, sogra de Elizamar e mãe do Thiago, e de Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos, cunhada de Elizamar e irmã do Thiago, desaparecidas no mesmo dia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.