'Há muita mídia', diz interventor que vai comandar segurança do Rio

O general Walter Braga Netto pouco falou em coletiva no Planalto, mas revelou preocupação com o potencial midiático do decreto assinado pelo presidente Michel Temer

Por Tania Monteiro
Atualização:

Nomeado interventor na segurança pública do Rio de Janeiro, o general Walter Braga Netto, afirmou que a situação da violência no Estado não está tão ruim. Ao ser questionado nesta sexta-feira, 16, no Palácio do Planalto, respondeu haver "muita mídia" em cima do assunto.

O general Walter Souza Braga Netto foi nomeado interventor da segurança pública do Rio de Janeiro, em decreto assinado pelo presidente Michel Temer Foto: (AP Photo/Eraldo Peres)

PUBLICIDADE

Braga Netto pouco falou na entrevista concedida no Palácio do Planalto, ao lado dos ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, e da Defesa, Raul Jungmann, justificando que tinha “acabado de receber a missão”, que ainda “estava em fase de planejamento” e por isso não poderia adiantar nada sobre como será desenvolvido o trabalho. Questionado pelo Estado após a declaração, o general disse que “a situação do Rio é grave, mas não está fora de controle”.

+++ Acompanhe ao vivo a repercussão da intervenção federal na segurança do Rio+++ Sobre a intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro

O Decreto Presidencial que formaliza a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira. O ato tem como objetivo "pôr termo ao grave comprometimento da ordem Pública no Estado do Rio de Janeiro". Pelo texto, a intervenção se dará até o dia 31 de dezembro de 2018 e se limita à área de segurança pública.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.