Amsterdã vê a maior retrospectiva dedicada ao pintor Vermeer

Exposição no Rijksmuseum abriu na sexta, 10, com 200 mil ingressos vendidos antecipadamente

PUBLICIDADE

Foto do author Antonio Gonçalves Filho
Por Antonio Gonçalves Filho
Atualização:

Inaugurada na sexta-feira (10) para o público no Rijksmuseum de Amsterdã, a maior retrospectiva já dedicada ao pintor Johannes Vermeer (1632-1675) garantiu, antes mesmo da abertura, a impressionante venda de 200 mil ingressos, transformando o artista numa atração tão celebrada como Van Gogh em sua terra natal. Estão na mostra telas célebres de Vermeer, entre elas Vista de Delft, A Leiteira e a incontornável Garota com Brinco de Pérola, atração máxima da mostra, que o museu Mauritshuis de Haia emptrestou.

A celebrada tela 'A Garota com Brinco de Pérola' (1664-67) está na retrospectiva de Vermeer  Foto: NYT / NYT

Vermeer, ao contrário de Van Gogh, conseguia vender suas pinturas em vida. Morando em Delft, pintou paisagens de sua cidade, interiores com garotas escrevendo ou lendo cartas e cenas cotidianas como uma senhora robusta com uma uma jarra de leite numa das mãos. Nada que se compare ao charme da garota com o brinco, que, em 1881, foi vendida por uma cotação baixíssima num leilão (pela bagatela de dois florins).

Vista de Delft, tela de Vermeer emprestada pelo Mauritshuis de Haia para o Rijksmuseum) Foto: Mauritshuis/Rijksmuseum

Os modernos aprenderam muito com Vermeer, especialmente a evitar a estridência. Suas telas retratam ambientes sóbrios. Há sempre uma luz oblíqua que ilumina apenas o essencial na cena. E, sobretudo, há silêncio nessas pinturas – e uma tela, em especial, A Pequena Rua, que retrata um lugar em Haia, é a tradução dessa quietude.

Dois visitantes do Rijksmuseum observam a pequena tela 'A Pequena Rua", de Vermeer, em sua retrospectiva Foto: EFE / Imane Rachidi

A retrospectiva levou sete anos para ser organizada e negociações com vários museus. O Rijksmuseum está exibindo 28 das 37 pinturas atribuídas a Vermeer, que produziu pouco, mas com excelência. O resultado é que, nos próximos dois meses da exposição, só vão entrar os visitantes que fizeram reservas. Não há mais ingressos à venda antes disso.

Detalhe de 'O Geógrafo', de 1669, de Vermeer, obra de maturidadedo pintor no Rijksmuseum de Amsterdã  Foto: NYT / NYT
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.