PUBLICIDADE

Morte do galerista Brent Sikkema no Rio: o que se sabe e o que falta saber sobre o caso?

Polícia prendeu suspeito em Minas Gerais após crime ocorrido no Rio; ainda há pontos na investigação a esclarecer

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O suspeito de matar Brent G. Sikkema, dono de uma famosa galeria de arte em Nova York, foi preso nesta quinta-feira, 18, em Minas Gerais. A informação foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) ao Estadão.

O galerista foi encontrado morto em um apartamento no Rio de Janeiro na segunda-feira, 15. Com a prisão do suspeito, a investigação começa a ganhar corpo, mas ainda existem pontos que precisam ser esclarecidos pela investigação. Confira o que já se sabe sobre a morte e o que falta saber.

O que se sabe:

  • Galerista foi morto com arma branca

Brent foi encontrado morto na segunda, 15, com sinais de perfurações.

  • Suspeito foi preso em Minas Gerais

Segundo informações da Polícia Civil do Rio, o homem foi localizado em um posto de gasolina entre as cidades de Uberaba e Uberlândia, em Minas Gerais. A identidade do suspeito não foi divulgada

Depois do crime, o suspeito fugiu para São Paulo. Agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), com o apoio da PRF-MG e da Polícia Civil de São Paulo, cumpriram um mandado de prisão temporária.

Publicidade

O homem tem 30 anos e é cubano, mas morava no Brasil. Ele foi detido com $ 3 mil dólares e confessou à Polícia que estava se dirigindo ao Mato Grosso para fugir do país.

  • Crime está sendo investigado pela Polícia como latrocínio

Ainda de acordo com a Polícia Civil do Rio, a principal linha de investigação é de que Brent foi vítima de um latrocínio – roubo seguido de morte.

  • Um vídeo das câmeras de segurança mostrou suspeito saindo da casa da vítima

PUBLICIDADE

Um vídeo captado pelas câmeras de segurança da residência do galerista Brent G. Sikkema no Rio de Janeiro, mostra o homem estacionando o carro em frente à casa de Brent. Ele entra na residência sem maiores dificuldades. Segundo o Hora 1, o suspeito entra na casa às 3h43 da madrugada de domingo, 14. Às 3h57, ele deixa a casa. Ele tira um par de luvas antes de entrar no veículo novamente.

O que falta saber:

Algumas informações ainda precisam ser apuradas e não tiveram as informações esclarecidas pela Polícia.

  • Além do latrocínio, há outra linha de investigação?
  • Havia alguma relação anterior entre o suspeito e a vítima?
  • O suspeito teve ajuda ou mandante para cometer o crime?

Brent era casado com Daniel, conhecido como Danny, mas estaria passando por um processo de divórcio conflitante. Ele deixa um filho de 12 anos deste relacionamento.

Galerista Brent Sikkema  Foto: Sikkema Jenkins & Co/Divulgação
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.