‘Um Ano Inesquecível’: Conheça a franquia da Amazon inspirada em livro de escritoras brasileiras

Primeiro de uma sequência de quatro filmes chega ao Prime Video nesta sexta-feira, 2; Lázaro Ramos é diretor de um dos longas, que tem Iza no elenco

PUBLICIDADE

Foto do author Julia Queiroz
Por Julia Queiroz

Para quem cresceu lendo os livros de Thalita Rebouças, Paula Pimenta, Bruna Vieira e Babi Dewet, a franquia Um Ano Inesquecível, do Amazon Prime Video, é um prato cheio com gosto de infância.

PUBLICIDADE

Mesmo para quem não leu, a produção é uma chance de conhecer o investimento das plataformas de streaming na literatura jovem brasileira.

A Amazon lançou, nesta sexta-feira, 2, o primeiro de uma sequência de quatro filmes inspirados em contos de cada uma das autoras. As histórias foram compiladas em um livro de mesmo nome que chegou às livrarias em 2015.

Cada uma das tramas se passa durante uma estação do ano, mas não estão conectadas. A primeira delas, Verão, já está disponível no streaming, enquanto Outubro, Inverno e Primavera serão lançados nas próximas sexta-feiras, respectivamente.

  • Verão (Thalita Rebouças) - 2 de junho
  • Outono (Babi Dewet) - 9 de junho
  • Inverno (Paula Pimenta) - 16 de junho
  • Primavera (Bruna Vieira) - 23 de junho

Anos depois do lançamento do livro, os contos chegam à plataforma com estreantes e nomes já conhecidos do cinema nacional, como Letícia Spiller (Inverno), Mariana Rios (Verão) e Juliana Alves (Primavera).

O destaque também vai para Outono, que tem Lázaro Ramos como diretor e a cantora Iza estreando na atuação, além de uma participação especial de Lulu Santos.

Publicidade

Iza em cena 'Um Ano Inesquecível - Outono', que chega ao Prime Video em 9 de junho. Foto: Prime Video/Divulgação


Histórias sobre juventude

Apesar de não estarem ligadas umas às outras, todas as histórias de Um Ano Inesquecível circulam um tema comum: o amadurecimento de jovens mulheres. As protagonistas são todas garotas entre o último ano do ensino médio e o começo da universidade. Veja as sinopses:

  • Verão: Inha (Livia Inhudes) é uma jovem do interior que sonha em estudar moda em Paris e, correndo atrás de uma carta de recomendação de Carrie Catherine (Mariana Rios), estilista internacionalmente conhecida, acaba na escola de samba da Portela para o carnaval.
  • Outono: Anna Júlia (Gabz) e João Paulo (Lucas Leto) são opostos: ela odeia música e quer um estágio para ajudar o pai em casa e ele é um jovem músico de rua que sonha em viver da sua arte. Ao se conhecerem, embarcam em uma jornada de amor e descobertas pessoais.
  • Inverno: Mabel (Maitê Padilha) tem os planos de sua viagem de formatura frustrados por uma viagem em família para o Chile. Apesar da relutância, ela se rende ao lugar após conhecer o jovem Ben (Michel Joelsas) e seus amigos.
  • Primavera: Jasmine (Lívia Silva) se vê dividida entre sua paixão pela arte e a vontade dos pais de que ela entre no curso de administração. Quando conhece Davi (Ronald Sotto), garoto que a ajuda com as aulas de matemática, ela percebe que terá que lutar pelo que quer.

O romance faz parte de todas as histórias, assim como os desafios das relações entre pais e filhos. Para Babi Dewet, autora de Outono, uma das coisas que liga as quatro histórias é a busca pela identidade, algo característico do período da vida em que estão as protagonistas.

“São histórias que falam sobre ser possível a gente ser feliz e correr atrás dos sonhos, sem parecer que isso seja um enorme clichê”, diz Thalita Rebouças, que escreveu Verão. Amor próprio e poder feminino são outros termos citados por elenco e equipe ao falarem sobre os principais temas da franquia.

Publicidade

A cineasta Caroline Fioratti, que dirigiu Inverno, aponta que “cada filme tem uma sensação diferente” e faz com que o público se conecte “com uma parte diferente dele próprio”. Ela e o elenco do longa afirmam que a produção mostra a importância de ser vulnerável consigo mesmo e com os outros.

Marcelo Laham, Miguel Trajano, Maitê Padilha e Letícia Spiller estão no elenco de 'Um Ano Inesquecível - Inverno'. Foto: Prime Video/Divulgação


Adaptação

Malu Miranda, head de conteúdos originais da Amazon no Brasil, explica que a ideia de realizar a adaptação foi apresentada à empresa pela Panorâmica Filmes, produtora que havia adquirido os direitos do livro.

Inicialmente, as histórias seriam transformadas em apenas um longa, mas ela viu potencial para mais e a ideia se expandiu para uma franquia de quatro filmes.

Todos foram filmados em 2021 - quando os empecilhos da covid-19 ainda estavam muito presentes - e em localizações diferentes: Rio de Janeiro, São Paulo, Ouro Preto e Chile, onde se passam Verão, Outubro, Primavera e Inverno, respectivamente.

Bruno Garotti, que dirigiu Primavera ao lado de Jamile Marinho, pondera que é preciso ser “cuidadoso e respeitoso” ao adaptar uma obra que já foi consumida por muitas pessoas, em especial quando se trata do público jovem, “que é muito apaixonado”.

“Temos que buscar entender por que as pessoas se apaixonaram por aquela obra em primeiro lugar, ser fiel a esses elementos, que são fundamentais, porque é claro que quando você vai passar para o cinema, existe uma adaptação”, diz.

Juliana Alves e Lívia Silva vivem mãe e filha em 'Um Ano Inesquecível - Primavera'. Foto: Lucas de Godoy/Prime Video/Divulgação

“Essas adaptações precisam acontecer e é bom que elas aconteçam. Uma das formas de garantir que o elementar esteja lá é ficar muito próximo dessas autoras ao longo do processo. A gente sempre teve a presença e a colaboração delas”, completa.

Publicidade

Como cita o diretor, cada história passou mudanças para chegar ao streaming. Em Inverno, por exemplo, a protagonista tem 14 anos na história original e 17 anos no filme. Tramas foram adicionadas para tocar em temas como homofobia e empoderamento feminino.

Já em Outono, um elenco majoritariamente composto por pessoas pretas foi escalado e o roteiro incorporou discussões sobre movimentos sociais e ocupações.

“Eu queria que os personagens fossem mais diversos do que na história original. Eu escrevi ela em 2015 e a gente amadurece e aprende muitas coisas. Eu compreendi que os personagens que eu escrevi talvez não traduzissem a juventude brasileira do jeito que hoje eu gostaria”, diz Babi Dewet.

Lázaro Ramos, que ficou com a missão de dirigir o longa, comenta que fazer uma adaptação é “uma responsabilidade gigante”, mas também uma oportunidade de ampliar a história dos personagens, algo que, segundo ele, foi feito em colaboração com toda a equipe.

Lázaro Ramos e Gabz nos bastidores de 'Um Ano Inesquecível - Outono'. Foto: Vans Bumbeers/Prime Video/Divulgação


Investimento na literatura e público jovem

Um Ano Inesquecível é a primeira franquia nacional da Amazon, mas não é o primeiro livro de Thalita Rebouças, Paula Pimenta ou Bruna Vieira a ser adaptado para as telas.

Pai em Dobro, de Thalita, Cinderela Pop, de Paula, e De Volta aos 15, de Bruna - disponíveis na Netflix - são alguns exemplos de obras infanto-juvenis que foram transformadas em filmes ou séries nos últimos anos.

De acordo com Thalita, oito filmes derivados de suas histórias já foram produzidos, mas todos os outros já tiveram os direitos comprados. “O mercado está sim com os olhos voltados para a literatura feita com carinho e que trata o adolescente com respeito”, diz a escritora.

Publicidade

Para ela e para Cris D’Amato, diretora de Verão, o apelo dos filmes juvenis está não só no grande público jovem que atrai, mas também no fato de que ele pode unir toda a família e ser “um momento de conexão familiar importante”, como aponta a cineasta.

Livia Inhudes, Diego Martins, André Mattos e Regina Sampaio em cena de 'Um Ano Inesquecível - Verão'.  Foto: Laura Campanella/Prime Video/Divulgação

O potencial de reflexão para os pais também é um ponto comum entre membros do elenco e da equipe. A atriz Juliana Alves, que interpreta a mãe da protagonista Jasmine em Primavera, diz que sua personagem pode ser um exemplo para pais que estão relutantes com as escolhas de seus filhos.

Quando questionada sobre o investimento nessas adaptações, Malu Miranda fala em “formação de público” e cita a responsabilidade e importância de “celebrar” autoras nacionais que já tinham uma base de fãs grande entre o público jovem.

“A Amazon, especificamente, é uma empresa que começou com livros. Para nós, ainda por cima, tem essa força que veio da venda de livros e para todos esses outros dispositivos. Eu acho que é um dever nosso também”, completa.

*Estagiária sob supervisão de Charlise Morais

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.