PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Cultura, comportamento, noite e gente em São Paulo

Como as escolas tradicionais como o Dante Alighieri e o Bandeirantes vão lidar com o ChatGPT?

Colégios paulistanos preparam professores e planejam conjunto de diretrizes e regras de uso da ferramenta

PUBLICIDADE

Foto do author Marcela Paes
Por Marcela Paes
Atualização:


Recebido com festa por uns e críticas por outros, o ChatGPT é assunto nas escolas paulistanas, tanto entre alunos como corpo docente. Como lidar com a ferramenta de Inteligência Artificial que promete fazer (com poucos cliques e nenhuma pesquisa requerida) desde trabalhos acadêmicos sobre qualquer tema a contratos ou até receitas de bolo no âmbito escolar?

Fachada do colégio Dante Alighieri Sérgio Zacchi Foto: Sérgio Zacchi

PUBLICIDADE

No Dante Alighieri, nos Jardins, o assunto foi trazido pelos próprios alunos e a discussão está aberta. O colégio tem como uma de suas matérias eletivas, inclusive, o estudo de Inteligência Artificial. “Nas aulas de Steam-S, por exemplo, falamos muito sobre o cultural digital, ética, cidadania, privacidade, segurança, intolerância, entre outros temas. E, neste espaço de diálogo, os alunos trouxeram a questão do ChatGPT e estamos conversando sobre o ganho de se usar uma ferramenta como essa quando estamos formando seu repertório”, disse Verônica Cannatá, coordenadora e professora de Tecnologia Educacional no Colégio Dante Alighieri.

O Dante já tinha uma política de preparar exames à prova de Google, de plágio e de cola. “O ChatGPT chega como mais um recurso tecnológico, que está no momento em pauta. Virão outros e estaremos sempre atentos”.

Em março, o Colégio Bandeirantes planeja um workshop sobre o tema voltado para os professores. A ideia é que o corpo docente descubra maneiras de incorporar a ferramenta no aprendizado e discuta como inserir essas questões no modelo pedagógico. O colégio quer que os professores estejam preparados antes de conversar formalmente com os alunos sobre as regras para o uso do ChatGPT.

Emerson Bento Pereira, diretor de tecnologia educacional do Bandeirantes, pontua que a incorporação da ferramenta é um “caminho sem volta”. A inteligência artificial já faz parte da vida de nossos alunos e o quanto antes eles tiverem conhecimento e souberem extrair o melhor da ferramenta, mais bem preparados estarão para navegar pelas novas tecnologias”, diz.

Publicidade

No Colégio Stocco muitos estudantes já fazem uso da ferramenta, segundo o professor de Biologia, Ciências e Robótica Luis Gustavo Alves.Dessa maneira, torna-se fundamental orientar sobre seu correto uso e aplicação nas tarefas diárias. Quando inicio a abordagem sobre o chat GPT mostro funcionando na prática, muitos não acreditam, outros já começam a pensar nos mais diversos usos”, diz.

O colégio já está produzindo um documento com diretrizes, mas, por enquanto, ainda não há nenhuma regra.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.