EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Cultura, comportamento, noite e gente em São Paulo

O ‘afrofuturismo’ de Luiz Moreira em exposição na Biblioteca Mário de Andrade

A mostra tem entrada gratuita e começa no próximo dia 24 de fevereiro

PUBLICIDADE

Foto do author Gilberto Amendola
Por Gilberto Amendola
Atualização:

A Biblioteca Mário de Andrade recebe entre 24 de fevereiro e 7 de abril, a exposição “A Luz da Beleza”, de Luiz Moreira, com curadoria de Marcus de Lontra Costa.

PUBLICIDADE

A mostra reúne 37 imagens em grande e médio formato e vídeos da série visual do artista. A exposição passou pela Casa França Brasil no Rio de Janeiro em 2022 com recorde de público e agora chega na capital paulista com imagens inéditas incluídas.

”Os trabalhos de Luiz Moreira se apropriam da extrema riqueza visual e dos ritos religiosos vindos da África, dando-lhes um sentido transformador, projetando para uma estética que dialoga com técnicas e materiais tecnológicos contemporâneos: é o “afrofuturismo” que se projeta em cores vibrantes e cheias de contraste”, diz Marcus de Lontra Costa.

Luiz Moreira na Biblioteca Mário de Andrade Foto: Rômulo Fialdini

Luiz Moreira nasceu em São Paulo. Apesar de manter residência no centro de São Paulo, atualmente passa grande parte do tempo em Miami, sua segunda casa desde a pandemia. Sua relação com a imagem é inspirada em sua própria experiência cultural como morador do bairro Jardim Ângela até os 18 anos, na periferia da capital paulista.

Ele começou a fotografar em projetos acadêmicos no curso de Comunicação Social. Após isso, passou a explorar a fotografia de rua em São Paulo e NY, cotidiano dos grandes centros.

Publicidade

  • Serviço
  • A Luz da Beleza – Luiz Moreira
  • Local: Biblioteca Mário de Andrade
  • End: Rua da Consolação, 94 - Consolação - São Paulo
  • Período Expositivo: 24 de fevereiro à 7 de abril de 2024
  • Horário de funcionamento: De segunda a sexta, das 9h às 21h, e finais de semana e feriados, das 9h às 18h.
  • Entrada Gratuita

Luiz Moreira indica o trabalho do coletivo Vilanismo, uma fraternidade formada por homens pretos artistas. O Vilanismo surgiu, no final de 2021, como forma de artistas pretos se articularem e incentivarem a produção artística própria e coletiva.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.