EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Cultura, comportamento, noite e gente em São Paulo

Teresa Cristina fala da emoção de cantar hoje na ONU: ‘Não foi fácil chegar até aqui’

Sambista, que completou 25 de carreira, abre o fórum afrodescendente das Nações Unidas

PUBLICIDADE

Foto do author Paula Bonelli
Por Paula Bonelli

A cantora Teresa Cristina abre hoje a cerimônia do Fórum Permanente de Pessoas Afrodescendentes da Organização das Nações Unidas em Genebra - evento para debater igualdade, direitos humanos e racismo. “Espero que seja uma apresentação inesquecível. Vou me apresentar com Carlinhos Sete Cordas, com músicos espetaculares e vou levar o Brasil, o samba carioca, para esse fórum”, afirmou à coluna.

Teresa canta, por exemplo, “Zé do Caroço” e “Canto das Três Raças”, músicas que falam contra a intolerância racial.

Teresa Cristina Foto: Thalles Garbin


“Esse evento é simbólico para a minha carreira, eu me esforcei muito e não foi fácil chegar até aqui”, disse a sambista que está completando 25 anos de trajetória na música. “Acho muito relevante estar presente neste fórum da ONU pelo que eu represento. Eu sou uma mulher negra, suburbana, carioca”, acrescentou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.