PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Coluna semanal do historiador Leandro Karnal, com crônicas e textos sobre ética, religião, comportamento e atualidades

Opinião|Ler, ver e crescer

‘Round 6’: em nome do dinheiro, o que cada pessoa está disposta a arriscar?

Atualização:

Muita gente tem férias no final do ano. Como já escrevi, 2021 deixará poucas saudades e a pausa é merecida e necessária. Quer ver algo interessante? A série coreana da Netflix “quebrou a banca”: Round 6. Trata-se de uma metáfora do capitalismo similar à obra espanhola O Poço. Em nome do dinheiro, o que cada pessoa está disposta a arriscar? Uma questão muito importante. Um aviso: as cenas incluem violência. Se você acha que já houve coisas fortes demais no ano que se encerra, opte por outras: Gambito da Rainha, Lupin ou a nova temporada de Lúcifer. Sim, reconheço: ver as aventuras do príncipe das trevas pode nos distrair de 2021... A que ponto chegamos.

Série sul-coreana 'Round 6' é um dos maiores sucessos da Netflix dos últimos tempos Foto: Netflix

PUBLICIDADE

Cansado da televisão? Voltemos aos livros: A Vida dos Estoicos - A Arte de Viver de Zenão a Marco Aurélio (Holiday e Hanselman, editora Intrínseca) é a dica certa para você. Celso Castro é filho de um oficial do Exército brasileiro e antropólogo. A partir de um trabalho de campo na Academia de Agulhas Negras, ele tenta fazer uma análise distante dos jargões do militarismo ou da visão de mundo castrense. O que seria, na visão fardada, o paisano? Existe mentalidade militar, de fato? A leitura do livro O Espírito Militar - Um Antropólogo na Caserna (Zahar) traz luzes sobre essas indagações.

O Oriente Médio tem jeito? Adi Schwartz e Einat Wilf acham que sim. Os dois israelenses fazem reflexões muito distantes da polarização reinante nos dois lados em livro da Editora Contexto: A Guerra do Retorno - Como resolver o problema dos refugiados e estabelecer a paz entre palestinos e israelenses. Como a questão é complexa, estou buscando uma boa obra similar escrita por um palestino. Alguma indicação?

Como se fala em judicialização do mundo, seria interessante ler o livro de Augusto de Arruda Botelho: Iguais Perante a Lei - Um guia prático para você garantir seus direitos (ed. Planeta). Você insultou alguém nas redes sociais e tem medo de processo? Se prefere continuar no campo jurídico, gostei muito da Biografia Não Autorizada do Direito, de Fábio Ulhoa Coelho (WMF Martins Fontes). Aprecio, em particular, textos que buscam a história de um conceito como este do Fábio.

Encerro falando de um sucesso: Política É para Todos, de Gabriela Prioli. A advogada lançou pela Cia. das Letras um livro curto e claro para falar de forma crítica de grandes conceitos e práticas do poder e sua administração. Bom pontapé inicial para 2022, que promete ser essencialmente político. Ler como estratégia ou... por vingança contra aqueles que nos governam. Ler é esperança! 

Publicidade

Opinião por Leandro Karnal
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.