Conceição Evaristo é eleita imortal da Academia Mineira de Letras

Escritora, que conta com livros traduzidos para seis línguas, foi eleita para ocupar a cadeira de nº 40 da AML; figurando como imortal ao lado de nomes como Ailton Krenak e Silviano Santiago

PUBLICIDADE

Foto do author Damy Coelho
Por Damy Coelho
Atualização:
A escritora Conceição Evaristo. FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO 

A Academia Mineira de Letras anunciou sua mais nova imortal na quinta-feira, 15: Conceição Evaristo. A escritora, que tem no currículo obras como Ponciá Vicêncio, Olhos d’água e Insubmissas lágrimas de mulheres, vai ocupar a cadeira de nº 40, que teve como patrono Visconde de Caeté e, como última sucessora Maria José de Queiroz, que morreu em novembro 2023.

PUBLICIDADE

Evaristo disputou a vaga com outros cinco autores, e foi eleita com 30 votos entre os 34 votantes, segundo a instituição. Um dos nomes mais importantes da literatura contemporânea, Conceição Evaristo joga luz à perspectiva da mulher negra em um processo que ela chama “escrevivência”. A belo-horizontina nascida na favela de Pindura Saia, em 1946, teve seus livros traduzidos para o espanhol, inglês, árabe, francês, italiano e eslovaco.



Sobre a mais nova imortal da Academia, o presidente da AML, Jacyntho Lins Brandão, disse: “A chegada de Conceição Evaristo à Academia Mineira de Letras, a par do reconhecimento de sua trajetória como professora, romancista e poeta, com justiça celebrada no Brasil e no exterior, tem também o sentido de impregnar esta casa com suas qualidades e história de vida.”

Brandão assumiu o posto em junho de 2023 e seu discurso teve como um dos tópicos a atenção à pluralidade de discursos na Academia Mineira. Em um estado que lançou nomes como Adélia Prado, Carolina Maria de Jesus e Carlos Drummond de Andrade, a missão também é apontar para a diversidade em um estado grande e, também, diverso. A posse mais recente, por exemplo, foi de Ailton Krenak, em março de 2023.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.