PUBLICIDADE

Como é a casa de bom gosto de 2023? Feira em Paris aponta tendências em móveis, luminárias e tecidos

Quer reformular sua casa com essas últimas tendências? Veja dicas da maior feira da França. Artesanato, peças em metal e design inspirado em grandes nomes como Niemeyer: essa é a cara de uma casa com jeitinho de lar

Por Marcelo Gomes Lima
Atualização:

Abra as janelas, coloque seus óculos coloridos e veja a vida com outros olhos. Em uma palavra, Enjoy!, ou, Aproveite! (em bom português). Tomada como tema, a palavra de ordem ecoou forte pelos estandes e corredores na última edição da Maison & Objet, a principal feira francesa de design e decoração, e uma das maiores da Europa, encerrada na última segunda- feira, 12, em Paris. Afinal, ainda que vivamos tempos conturbados, nada impede que nossas casas se encham de criatividade e alegria.

Sala montada pela curadora Elizabeth Lariche, a partir de produtos em exposição na M&O. Foto: M&O - AETHION/Divulgação

PUBLICIDADE

Encontro imperdível para os profissionais do setor - e também para todos aqueles em busca de inspiração para decorar -, a feira deste ano, que reuniu mais de 2 mil marcas no Centro de Exposições de Villepinte, no noroeste da capital francesa. A feira coincidiu com a realização da Paris Design Week - festival que ocupa as mais diversas locações da capital francesa, de lojas a locais públicos - e, no qual, o desejo de viver a casa de forma mais espontânea e autêntica se fez igualmente presente.

Em nome da alegria de viver, fabricantes e designers declararam sua firme disposição de investir em cores e formas mais audaciosas, em móveis mais divertidos e em revestimentos impactantes. Para esses criadores, mais parece ser, definitivamente, mais. E demais, uma palavra que não existe. Ainda que eles não percam de vista a preocupação com nossa realidade imediata, manifesta na profusão de objetos criados com base na reciclagem dos mais diversos materiais.

Não por acaso, a excitante e despreocupada década de 1980 ensaiou seu tão aguardado retorno. Por todos os cantos, podia-se sentir um raro perfume de Memphis - movimento nascido em Milão, que lançou as bases do design radical -, no ar. Fosse por meio de móveis extravagantes, fosse pelo colorido kitsch, mas de efeito sempre estimulante. Como a coleção que tinha como base o pink, apresentada pelo estúdio de design francês Uchronia, na Orangerie e na Place des Vosges.

O designer francês Tim Leclabar e sua coleção de poltronas Boo. Foto: M&O - AETHION/Divulgação

Olhar curioso e referenciado

Para além de qualquer referência histórica, porém, o olhar curioso dos jovens designers franceses - que nesta edição foram destaque no Rising Talents (Talentos Emergentes), segmento da feira que a cada ano apresenta o trabalho de profissionais em ascensão de um país diferente -, não contemplou apenas o design nacional. Foi no Brasil que Tim Leclabart se inspirou para criar a mesa Curved. “Ela evoca minha estadia no Rio e todo meu carinho por Oscar Niemeyer”, conta ele.

Autodidata, Tim sintetiza bem os ideais da nova geração do design internacional: jovens para os quais trazer a magia de volta ao nosso cotidiano parece ter menos a ver com uma ação coletiva do que com uma atitude mais individual e assertiva. E, para quem, uma dose extra de ousadia é um remédio sempre à mão. Como você confere nos tópicos abaixo, juntamente com sugestões de como incorporar, desde já, as últimas tendências apresentadas em Paris à decoração de sua casa:

Cultura Pop

Em alta entre os lançamentos da Maison & Objet, objetos inspirados no universo pop ganham espaço na decoração, sugerindo uma visão mais otimista do mundo. Em casa, experimente, por exemplo, dar destaque às suas coleções pessoais e a peças que remetam a seus ídolos e personagens favoritos.

Publicidade

Móvel de metal criado pelo estúdio belga MullerVanSeveren reúne poltronas e luminária. Foto: M&O/Divulgação

De volta à cena

O conforto ganha destaque na formulação dos novos móveis. E, entre eles, a chaise-longue, ou espreguiçadeira. Para quem já tem uma, experimente uma leve atualização com um tecido ousado. Caso contrário, considere fazer uma visita a uma loja de móveis de segunda mão, ou à casa dos seus avós.

Curinga da decoração

Nada mais versátil e atual que o pufe: misto de móvel e objeto que retorna à decoração. Como o modelo Pamonha da Pampulha, de lona serigrafada, criada pelo duo brasileiro Lâmina, dos designers Gabriela de Laurentiis e João Mascaro, apresentado na Paris Design Week, em mostra da Bref Design Art.

O pufe Pamonha da Pampulha criado pelo duo brasileiro Lâmina dos designers Gabriela de Laurentiis e João Mascaro apresentado na Paris Design Week. Foto: Bref Design Art

Estampados

Combinados, ou simplesmente justapostos, tecidos e papéis de parede com motivos gráficos, florais, étnicos ou listrados estão em alta, e têm alcance ilimitado. Experimente combiná-los como preferir. Tanto na composição dos ambientes, como no revestimento de um único móvel ou objeto.

Feito à mão

O artesanato ganha destaque entre os lançamentos deste ano. Mas, não mais em peças rústicas, reproduzindo formas do passado. Mas sim, na confecção de móveis contemporâneos, como os criados por Fien Muller et Hannes Van Severen - designers do ano eleitos pela Maison & Objet -, em couro e metal.

Móveis de argila na mostra Inspire me com curadoria de Elizabeth Lariche. Foto: M&O - AETHION/Divulgação

Móvel protagonista

PUBLICIDADE

Todos sabem que o sofá é peça central na decoração de qualquer sala. A novidade agora é que eles ganharam formatos e cores ainda mais inusitados e impactantes. Para quem quer renovar o seu, tudo se resume a revestir o móvel com um bom estampado e optar por peças mais neutras em seu entorno.

Trem das cores

É rosa, laranja, roxo. Vermelho puro, em todas suas declinações. Na Maison & Objet 2023 as cores expandiram seu alcance para todos os itens da decoração. E não apenas para paredes e grandes superfícies. Experimente, por exemplo, investir em cor nos tapetes, espelhos e luminárias. E esteja certo de que aquele efeito uau, por parte de seus convidados, não vai tardar a chegar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.