PUBLICIDADE

Filho de Elis posta entrevista em que a mãe fala que pediria ‘muita grana’ para fazer um comercial

Declaração de Elis ocorreu em 1976, justamente na época em que ela gravou a canção ‘Como Nossos Pais’, usada recentemente em uma campanha publicitária; ouça

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O produtor João Marcello Bôscoli, filho mais velho da cantora Elis Regina (1945-1982) , republicou em seu Instagram nesta quinta-feira, 6 de julho, um trecho de uma entrevista em que Elis responde se aceitaria fazer comercial para alguma marca. A postagem de Bôscoli ocorre dias depois da Volkswagem lançar uma campanha publicitária em que Elis e a filha Maria Rita aparecem cantando juntas a canção Como Nossos Pais, de Belchior.

PUBLICIDADE

O vídeo da antiga entrevista foi postado originalmente pelos perfis @arquivoelisregina e @trechoelisregina. Trata-se de uma entrevista que Elis concedeu à Rádio Bandeirantes, em 1976. Ao ser questionada pelo apresentador Hélio Ribeiro se ela toparia fazer um comercial e, mais, se aceitaria cantar em um comercial, o que ela pediria. “Quanto é que você vai pedir?”, questiona o apresentador.

“Muita grana!”, responde Elis. “Tem que pedir muita grana mesmo!”, concorda o apresentador. Elis, então, repete: “muita grana”.



O apresentador questiona sobre quanto seria o valor. Elis responde: “1 bi”. A moeda em vigor na época era o Cruzeiro.

Na ocasião dessa entrevista, Elis apresentava o espetáculo Falso Brilhante, na qual ela cantava a música Como Nossos Pais, usada recentemente em uma campanha publicitária de automóvel. Na peça publicitária, Elis dirige uma Kombi antiga, enquanto Maria Rita dirige um veículo elétrico. A imagem de Elis foi criada por deep fake.

A campanha provocou reações contraditórias e abriu debates na mídia e nas redes sociais. Muitos gostaram de ver uma imagem de Elis recriada digitalmente em um dueto inédito com a filha. Outros acharam que a propaganda usou a música inadequada, já que a letra de Belchior fala sobre conflitos geracionais durante a ditadura militar. Por fim, muitos criticaram o uso da Elis em uma campanha publicitária após mais de 40 anos de sua morte.

Elis Regina durante entrevista em sua casa, na Serra da Cantareira, em São Paulo, em 1978 Foto: Oswaldo Luiz Palermo/Estadão
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.