Filho de Gal Costa e primas da cantora fazem acordo para criar fundação

Entidade sem fins lucrativos, a Fundação Gal Costa de Incentivo à Música e Cultura foi originalmente planejada em um testamento redigido pela cantora em 1997, mas posteriormente revogado

PUBLICIDADE

Foto do author Flávio Pinto
Por Flávio Pinto
Atualização:

Gabriel Penna Burgos Costa, filho de Gal Costa, fez um acordo extrajudicial com as primas da cantora, Verônica e Priscila Silva. Juntos, eles estão comprometidos em estabelecer a Fundação Gal Costa de Incentivo à Música e Cultura, uma instituição sem fins lucrativos e originalmente planejada no testamento da cantora em 1997 (ele foi revogado em 2019). As informações foram publicadas originalmente no Correio da Bahia e confirmadas ao Estadão pela assessoria de imprensa de Gabriel Costa.

Gal Costa e o filho Gabriel em camarim antes de um show da cantora Foto: Reprodução/ Instagram @

PUBLICIDADE

“Gabriel Costa chegou a acordo extrajudicial com as primas de Gal Costa para por fim aos questionamentos que elas apresentaram em juízo sobre a Fundação Gal Costa. As regras para a existência e o funcionamento da fundação foram estabelecidas pela própria cantora há muitos anos. Gabriel Costa, com o apoio das primas, se compromete a buscar meios para realizar o desejo de sua mãe de criar uma instituição que preserve sua obra”, diz a assessoria do filho da cantora, adotado por Gal aos dois anos, em 2007.

O acordo entre o filho de Gal Costa e suas primas foi estabelecido em 1º de abril, conforme reportado pelo Correio da Bahia.

Além disso, o veículo também noticiou que, em março deste ano, as primas de Gal Costa entraram com um processo contra Wilma Petrillo, companheira de Gal Costa e que alega também ser mãe de Gabriel, embora não o tenha registrado, acusando-a de tê-las coagido a anular o testamento.

Segundo o testamento de Gal Costa de 1997, citado pelo Correio, a fundação sem fins lucrativos ajudaria músicos e outros artistas da música. Eles planejavam fazer festivais, concursos e dar bolsas de estudo para pessoas que precisassem. Verônica, Priscila e outras três primas da cantora seriam responsáveis por administrar essa fundação.

Gabriel concordou em criar a fundação após a conclusão do inventário, que definirá como a herança de Gal será distribuída – ela é alvo de disputa entre ele e Petrillo. Segundo este acordo divulgado agora, os recursos para a fundação seriam provenientes da parte da herança de Gabriel e de possíveis parcerias públicas ou privadas ainda não discutidas.

O anúncio do acordo entre o filho e familiares de Gal surge após entrevistas concedidas por Petrillo à imprensa e depois da decisão da Justiça de São Paulo de negar o pedido de exumação do corpo da cantora feito por Gabriel Costa – ao Estadão, os advogados do filho da cantora afirmaram, na semana passada, que vão recorrer da decisão. LEIA AQUI A ENTREVISTA DE WILMA PETRILLO AO ESTADÃO.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.