Música, filme e editora de livros: relembre projetos de Eliana fora da TV

Apresentadora anunciou o fim de seu contrato com o SBT nesta segunda-feira, 1º, motivada pela busca por nova fase profissional

PUBLICIDADE

Foto do author Gabriela Caputo
Por Gabriela Caputo

Eliana anunciou nesta segunda-feira, 1º, o fim de seu contrato com o SBT após 15 anos comandando o Programa Eliana. De acordo com comunicado enviado à imprensa, a apresentadora irá encerrar sua segunda passagem pela emissora em junho deste ano, motivada pela busca por uma “nova fase com outros desafios profissionais”.

Eliana: mais de 30 anos de carreira na televisão brasileira Foto: Iude Richele

PUBLICIDADE

Grande parte da carreira de Eliana se deu na televisão, em emissoras como o SBT e a Record. No entanto, a apresentadora também desenvolveu projetos na música, no cinema e até no mercado editorial.

Antes de comandar programas de auditório voltados para o público adulto, ela se dedicou ao público infantil. Sua estreia foi no SBT. No final da década de 1980, cantando no grupo Banana Split, Eliana se apresentou no Qual É a Música, chamando a atenção de Silvio Santos. Contratada pela emissora, seu primeiro programa foi o Festolândia, em 1991. Pouco tempo depois, Eliana passou a investir paralelamente em sua carreira musical, voltada para o mesmo público.

Eliana na música

Lançado em 1993, Os Dedinhos foi o álbum de estreia de Eliana, vendendo cerca de 300 mil cópias no País. Ao longo de sua carreira musical que se estendeu até 2004, ela lançou um álbum de estúdio por ano com a gravadora BMG: foram doze no total, além de algumas coletâneas – uma curiosidade é que sete desses CDs foram batizados com seu nome.

Capa do disco 'Primavera', de Eliana, que concorreu ao Grammy Latino Foto: BMG/RCA

Em 1999, Eliana lançou Primavera, que concorreu ao Grammy Latino na categoria de melhor álbum infantil, na primeira edição do prêmio, realizada em 2000, mas não ganhou. Seus últimos três CDs foram É Dez (2002), Festa (2003) e Diga Sim (2004). A estimativa é de que Eliana tenha vendido mais de 4 milhões de cópias de seus CDs.

Eliana nos cinemas

Nos anos 2000, quando Xuxa Meneghel estreava um filme infantil por ano nas telonas, Eliana também levou uma produção própria para os cinemas, Eliana em O Segredo dos Golfinhos. O filme ficou entre as dez maiores bilheterias nacionais em 2005, atraindo mais de 300 mil pessoas para as salas de cinema.

Eliana em O Segredo dos Golfinhos: apresentadora lançou filme nos cinemas em 2005. Foto: Divulgação/20th Century Fox

O enredo foi motivado pelo seu interesse em temáticas ecológicas que pudessem ser educativas para seu público. Na trama, Eliana interpreta ela mesma: em uma viagem ao Caribe mexicano para gravar um programa sobre golfinhos, a apresentadora acaba se envolvendo em uma missão para salvar esses animais de um eco-predador. Embarcam junto dela nessa aventura um biólogo, um garoto apaixonado pelos bichos que conhece o mar pela primeira vez e um golfinho especial.

Publicidade

Dirigido por Eliana Fonseca, o longa contou com a Rede Record na lista de coprodutores. Eliana em O Segredo dos Golfinhos está disponível para streaming no Disney+.

Eliana no mercado editorial

Como empresária, Eliana ainda teve um empreendimento literário: em 2009, ela criou a Master Books, uma editora de livros de artes. Foram lançadas obras do cineasta Fernando Meirelles, da artista plástica Nina Pandolfo, do ator e diretor Selton Mello, biografias musicais e mais.

Depois de dez anos no ramo, a apresentadora resolveu fechar a empresa em 2019, diante da crise que atingira o mercado editorial. “Um brinde aos 10 anos dedicados à literatura. Tudo começou com uma paixão antiga: livros de arte. Foi, então, que resolvi perpetuar obras de artistas brasileiros que me emocionavam. Nasceu aí, o desejo de fundar uma editora de livros. Foi um desafio e tanto para uma apresentadora de TV, começando pelo preconceito: ‘Eliana, dona de uma editora?!’. Sim!! Eu mesma. Este foi o meu lado B, por 10 anos, que poucos conheceram ou entenderam”, escreveu Eliana em seu Instagram, ao anunciar o fim da Master Books.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.