Toda Nudez Será Castigada ganha Prêmio Shell do Rio

Entre os destaques está a homenagem prestada à família Goulart pela união e trabalho desenvolvido nos palcos, por mais de vinte anos

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

Paulo Moraes ganhou como melhor diretor, pelo espetáculo Toda Nudez Será Castigada na 18.ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro, realizada ontem, no Estrela da Lapa. A cerimônia, que homenageou os melhores do teatro carioca na temporada 2005, foi comandada pelo ator Pedro Paulo Rangel, vencedor em duas edições anteriores. A atriz Deborah Evelyn recebeu a premiação na categoria atriz pelo trabalho em Baque, enquanto Júlio Adrião foi escolhido o melhor ator, com A Descoberta das Américas. O texto de A Incrível Confeitaria do Sr. Pellica garantiu a Pedro Brício o prêmio de melhor autor e a montagem foi vencedora também pelo figurino, criado por Rui Cortez. Caíque Botkay e Sisneiro ganharam o prêmio de música, pela trilha original de Auto Ururau. Na categoria especial, a política institucional do Sesc Rio de valorização e incentivo ao teatro foi premiada. A cerimônia deste ano homenageou a Família Goulart, pela união e trabalho desenvolvido nos palcos, por mais de vinte anos. O diretor Aderbal Freire Filho entregou o Prêmio Shell a Paulo Goulart, Nicete Bruno, Beth Goulart e Paulo Goulart Filho. O vencedor de cada categoria recebeu uma escultura em metal, inspirada no logotipo da Shell, criação do artista plástico Domenico Calabroni, além de uma premiação individual de R$ 8 mil. Criado em 1989, o Prêmio Shell de Teatro é oferecido aos principais destaques do ano em nove categorias: autor, diretor, ator, atriz, cenografia, iluminação, música, figurino e categoria especial. Todos os anos, o Prêmio Shell é realizado em duas edições, contemplando separadamente os espetáculos realizados no Rio de Janeiro e em São Paulo, que se apresentaram entre 1° de janeiro e 31 de dezembro. O júri do Rio de Janeiro é formado por Bernardo Jablonski (professor e roteirista), Maria Fernanda (atriz), Fabiana Valor (atriz e bailarina), Sérgio Fonta (dramaturgo, diretor e ator) e Tania Brandão (pesquisadora e professora de história do Teatro Brasileiro). Na próxima terça-feira, 18 de abril, acontece a festa do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, na capital paulista. Confira os vencedores: Autor: Pedro Brício, por A Incrível Confeitaria do Sr. Pellica Direção: Paulo de Moraes, por Toda Nudez Será Castigada Ator: Júlio Adrião, por A Descoberta das Américas Atriz: Deborah Evelyn, por Baque Cenário: André Cortez, por A Serpente Figurino: Rui Cortez, por A Incrível Confeitaria do Sr. Pellica Iluminação: Maneco Quinderé, por Toda Nudez Será Castigada Música: Caíque Botkay e Sisneiro, pelas músicas do Auto do Ururau Categoria especial: Sesc Rio, pela sua política institucional de incentivo ao teatro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.