Publicidade

Aneel: racionamento este ano não é impossível

Por AE

A situação crítica dos reservatórios das hidrelétricas levou o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman, a admitir ontem que "não é impossível" que o Brasil passe por um novo racionamento de energia ainda em 2008. "Não estou dizendo que vai ter problema. Não é impossível haver um racionamento este ano, mas o mais provável é que não tenha", disse ele. Kelman defendeu até um contingenciamento para evitar situação parecida com a de 2001, quando a sociedade foi pega de surpresa e o governo teve de elaborar um plano de racionamento às pressas. No início, as medidas eram tratadas como racionalização. "Você só discute temas como apólice de vida e sepultura quando você está bem de saúde. Assim deve ser com coisas desagradáveis, como o racionamento. Esse assunto deve ser discutido muito antes. Não sob pressão". Além de elaborar um plano de contingenciamento para um eventual apagão, o governo também deveria fazer campanhas para estimular a população a economizar recursos energéticos, disse Kelman. A segurança no abastecimento de energia vem sendo questionada por causa da redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas, causada pela falta de chuvas. Nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste, por exemplo, os lagos das usinas operavam na segunda-feira com 44,73% da capacidade, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Em 7 de janeiro de 2007, estavam com 60,2% da capacidade. A situação é ainda mais grave porque as usinas do Sudeste e Centro-Oeste estão tendo de enviar energia ao Nordeste desde o fim do ano passado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.