Publicidade

Companhia low cost Arajet busca no Brasil pilotos e mecânicos para Boeing 737 Max, operado pela Gol

Empresas do setor aéreo passaram a sondar os arrendadores e funcionários da Gol desde que a companhia entrou com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos

Por Ana Rita Cunha

A dominicana Arajet fará um roadshow nesta quinta-feira, 22, em São Paulo para recrutar pilotos e mecânicos de manutenção de Boeing 737 MAX. O evento foi anunciado no LinkedIn da empresa caribenha. A Gol, empresa em recuperação judicial, é a única no País que opera aeronaves nesse modelo.

PUBLICIDADE

A atual forte demanda global por voos associada à quebra na cadeia de produção de aviões e ao déficit de pilotos e mecânicos aumentam o interesse por aeronaves e profissionais especializados.

Desde que a Gol entrou com pedido de Chapter 11, o equivalente à recuperação judicial no Brasil, no final de janeiro, outras empresas do setor aéreo passaram a sondar os arrendadores e funcionários da Gol.

No fim de janeiro, a Latam procurou arrendadores da Gol para demonstrar interesse em 25 aeronaves Boeing 737 MAX. A Gol entrou na Justiça dos Estados Unidos acusando a companhia chilena de “ação predatória”, em uma “campanha deliberada e coordenada” para obter seus aviões, contratar seus pilotos e buscar as empresas que arrendam suas aeronaves.

Jato do modelo Boeing 737 Max; Gol utiliza aeronaves do tipo, o que atraiu atenção da Latam e outras companhias aéreas Foto: Elaine Thompson / AP

A corte norte-americana acatou parcialmente o pedido da Gol e determinou que a Latam preste esclarecimentos sobre o tema.

Houve rumores na imprensa de que a norte-americana Avelo também estivesse negociando adquirir parte da frota da Gol. A empresa, na verdade, espera para receber cinco aviões Boeing 737 NG que a Gol já havia negociado devolver para a empresa arrendadora no ano passado como parte do plano de renovação da frota.

Desde 2018, a Gol está em processo de substituição da frota de Boeing 737 NG pelos modelos Boeing 737 MAX8. Procuradas, a Gol e a Arajet não responderam.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.