Publicidade

Bolsa de Tóquio fecha em baixa de 0,8%

Por Agencia Estado
Atualização:

A Bolsa de Tóquio encerrou em baixa pelo terceiro dia consecutivo, com a renovação das preocupações sobre a economia norte-americana gerando pressões sobre as ações de empresas exportadoras, como a Sony. O índice Nikkei-225 caiu 83,85 pontos (-0,9%), para terminar a sessão em 9.709,66 pontos. O Topix, índice amplo que reflete o movimento de todos os papéis negociados na primeira etapa do pregão, encerrou em 955,81 pontos, com baixa de 2,78 pontos (-0,3%). As ações da Sony fecharam o dia em queda de 3,3%, em 5.220 ienes, após ter atingido uma nova mínima no ano de 5.170 ienes durante a sessão. As esperanças de recuperação dos lucros da gigante de eletroeletrônicos foram abaladas pelas incertezas sobre a perspectiva econômica dos EUA após a divulgação do decepcionante dado sobre a indústria manufatureira no país. Nas últimas semanas, executivos das principais exportadoras de automóveis e tecnologia têm ecoado as preocupações de que a deterioração na economia dos EUA levará à valorização do iene ante o dólar, o que dificultará seus negócios no mercado norte-americano. A Honda fechou em baixa de 3,1%, enquanto a Mitsubishi cedeu 0,3%. Entre as companhias que anunciaram resultados ontem, a TDK fechou em baixa de 2,6%, refletindo as dúvidas sobre a perspectiva para o ano completo. Ações de companhias que fabricam caixas automáticos, vending machines, maquinários de impressão e equipamentos de contagem de dinheiro foram alavancadas pela notícia de que o governo pretende redesenhar as cédulas do iene pela primeira vez em 20 anos. Entre os papéis dessas empresas, os da Oki Electric dispararam 12,7%. A Oki administra cerca de 40% dos caixas automáticos no Japão. Bolsas Asiáticas O pessimismo em relação às condições da economia norte-americana fez com que as principais bolsas da Ásia fechassem em baixa, mas alguns mercados, como o de Seul, conseguiram se recuperar das mínimas do dia. O pessimismo sobre os EUA foi reforçado pelo dado mostrando estagnação na atividade manufatureira. Na Coréia do Sul, o índice Kospi fechou em 700,68 pontos, com recuo de 7,12 pontos (-1,01%). Como a Coréia do Sul envia um quinto de suas exportações para os EUA, as ações das exportadoras foram afetadas pelo dado ruim no mercado norte-americano. A Hyundai caiu 4,1%, enquanto a Samsung perdeu 1,5%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em 9.991,72 pontos, com queda de 188,30 pontos (-1,85%), influenciado negativamente pelos EUA e também refletindo a realização de lucros com os papéis do HSBC antes da divulgação do resultado do banco. Os papéis do HSBC regrediram 2,6%. Na Bolsa de Bangcoc, o Thai Set terminou o dia em 370,46 pontos, com desvalorização de 6,22 pontos (-1,7%), afetado pelas notícias de que três corretoras locais poderão ser obrigadas a suspender suas operações após terem desrespeitado leis do mercado. Na Bolsa da Indonésia, o índice Jacarta Composto caiu 4,96 pontos (-1,08%), para 456,31 pontos. Na Malásia, o índice KLSE-Com posto recuou 4,04 pontos (-0,56%), para 719,53 pontos. Nas Filipinas, o índice PSE Composto terminou em 1.119,07 pontos, com perda de 6,09 pontos (-0,54%). O índice Straits Times, de Cingapura, caiu 7,12 pontos (-0,47%), para 1.509,89 pontos. O único mercado que conseguiu terminar em alta foi o de Taiwan, mas os ganhos foram apáticos. O índice Taiwan Weighted subiu 4,30 pontos (+0,09%), para 4.920,89 pontos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.