Publicidade

Publicidade

Bunge prepara expansão no Brasil

A Bunge International conclui este ano um amplo processo de reestruturação societária em suas controladas no Brasil e prepara-se para a expansão. A expansão dois pilares básicos: a Bunge Alimentos e a Bunge Fertilizantes.

Por Agencia Estado
Atualização:

A Bunge International conclui este ano um amplo processo de reestruturação societária em suas controladas no Brasil e prepara-se para a expansão. Segundo o presidente do grupo, Alberto Weisser, a remodelagem criará dois pilares básicos: a Bunge Alimentos e a Bunge Fertilizantes. Ele explicou que a melhoria dos processos operacionais e redução de custos serão fundamentais para o crescimento. O presidente do grupo afirmou que a Bunge Alimentos nascerá da incorporação da Santista Alimentos, com foco em produtos de consumo, pela Ceval, maior processadora de soja da América Latina. Weisser afirmou que as operações das empresas continuarão separadas, mas a consolidação jurídica permitirá uma economia tributária superior a R$ 10 milhões por ano. O volume refere-se a créditos de ICMS na exportação, detidos pela Ceval, que não podem ser compensados pela companhia com as atividades domésticas. Com a incorporação, que ainda depende de aprovação dos acionistas minoritários, os valores serão aproveitados via Santista. Bunge investirá R$ 900 milhões nos próximos três anos O executivo disse que a Bunge irá investir no Brasil cerca de R$ 900 milhões nos próximos três anos, principalmente em logística e melhora de produtividade. Segundo ele, a plataforma nacional - onde está 60% dos ativos da Bunge - é importante para o modelo de produção integrada do grupo, incluindo desde o produtor rural até a ponta de consumo. Weisser disse que a demanda mundial de grãos e oleaginosas cresce entre 4% e 5% ao ano. Para exemplificar a importância local, ele afirmou que o Brasil possui cerca de 150 milhões de hectares disponíveis para a agricultura, principalmente na região Centro-Oeste. A área, correspondente a 1,5 milhão de quilômetros quadrados, eqüivale à região de cultivo da Índia, com aproximadamente 1 bilhão de habitantes. Na opinião do executivo, a expansão das atividades agrícolas no País será fundamental para a Bunge Fertilizantes, derivada da incorporação da Fertilizantes Serrana pela Manah. Ele acredita que os papéis da companhia poderão tornar-se a vedete do mercado acionário, entre as empresas do setor. Ele disse que a venda externa de uma tonelada de soja em grãos rende US$ 150 milhões, ao passo que, no farelo de soja ou óleos derivados, o valor chega a dobrar. No caso da carne, o faturamento é dez vezes maior.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.