PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Alfa separa R$ 820 milhões para dar crédito a startups

Grupo financeiro, vendido ao Banco Safra, criou um centro de inovação e definiu 22 empresas com as quais pode fazer negócios

PUBLICIDADE

Foto do author Altamiro Silva Junior
Por Altamiro Silva Junior (Broadcast)
Francisco Perez: grupo quer continuar apostando em empresas novatas Foto: Alfa

O grupo financeiro Alfa, criado há quase 100 anos pelo empresário Aloysio Faria e vendido no ano passado ao Banco Safra, separou R$ 820 milhões para dar crédito, nos próximos três anos, a startups, as empresas novatas que ainda passam por um momento complicado, com demissões e dificuldade de captar recursos. O grupo criou um centro de inovação, e no universo de milhares de companhias nascentes peneirou 22 nomes com os quais pode fazer algum tipo de negócio.

Área investiu R$ 170 milhões no ano passado

A área de inovação recebeu o nome de Alfa Collab, e fechou 2022 com R$ 170 milhões investidos. Em duas startups, o grupo comprou títulos de dívidas (debêntures) conversíveis em ações, em uma aposta de R$ 7,5 milhões. Outro investimento foi Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA), no valor de R$ 80 milhões.

Grupo quer estimular inovação e gerar valor

PUBLICIDADE

Mesmo com o ambiente mais desafiador para as startups, o diretor de novos negócios, responsável pelo centro de Inovação Alfa Collab e pela área de ESG do Alfa, Francisco Perez, afirma que o grupo pretende continuar apostando nesse tipo de empresa, como uma forma de estimular a inovação e gerar valor. A estratégia é integrar as companhias selecionadas com as empresas do conglomerado Alfa, que inclui gestora de recursos, empresa de previdência, corretora, financeira e seguradora.

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 09/02/2023, às 16h29

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Publicidade

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.