EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Brasileiros usarão Natal para fazer compras que já programavam

Quase metade dos consumidores pretende gastar até R$ 300

PUBLICIDADE

Foto do author Cristiane Barbieri
Por Cristiane Barbieri (Broadcast)
Mais de 70% dos consumidores preferem comprar presentes para a data em lojas físicas Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O Natal deste ano deve ter poucas compras por impulso e continuar com presentes baratos embaixo da árvore. Todos os 5.677 respondentes da pesquisa sobre consumo nesta data, feita pela empresa de dados Zoox, afirmaram que esperarão o Natal para fazer alguma compra que estava no radar e já programavam fazer.

PUBLICIDADE

Além disso, mais de 46% pretendem gastar até R$ 300. Desse total, 26,2% não pensam em desembolsar mais do que R$ 150. Uma parcela de quase 11%, porém, pretende comprar presentes que custam mais de R$ 3 mil.

A desigualdade de gênero reflete-se também na hora de presentear. Na intenção de compras de itens que custam até R$ 500 predominam as consumidoras. A partir desse valor, os homens são a maioria, sendo que a preferência deles vai para produtos eletrônicos e de informática, bem como viagens e lazer.

Maior parte deixa ida às lojas para a última semana

Quase 43% deixam para fazer as compras a uma semana do Natal. Outros 25,7% começaram a ir às lojas esta semana. Literalmente. Mais de 70% dos consumidores preferem comprar presentes para a data em lojas físicas.

O cartão de crédito é o meio de pagamento preferido por 28% dos respondentes e 17,6% optam pelo Pix. Já 37,8% usam mais de uma opção na hora de pagar as contas.

Publicidade


Este texto foi publicado no Broadcast no dia 15/12/23, às 12h28

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.