PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Com investimento de R$ 100 milhões, ‘unicórnio’ mexicano Clara prioriza Brasil

Startup de gestão de gastos corporativos espera que País represente 50% de seu faturamento até o fim do ano

Foto do author Elisa Calmon
Por Elisa Calmon


Startup anunciou recentemente a contratação de Roberta Savattero como diretora global de marketing Foto: GABRIEL SARAIVA

Os esforços de crescimento do ‘unicórnio’ mexicano Clara voltaram-se para o mercado brasileiro este ano. A startup de gestão de gastos corporativos planeja investir R$ 100 milhões em sua operação no País em 2023, com a expectativa de que o Brasil represente 50% do faturamento total até o fim do ano. Atualmente, a participação é de 30%, com o restante distribuído entre México e Colômbia.

Como parte do movimento, a startup anunciou recentemente a contratação da brasileira Roberta Savattero como diretora global de marketing. Segundo ela, apesar de a empresa ter ambições de chegar a novos países no longo prazo, a prioridade imediata segue nos mercados nos quais já atua, com destaque para o brasileiro.

Empresa tem dois mil clientes no Brasil

PUBLICIDADE

A Clara oferece cartões de crédito corporativos atrelados a uma plataforma de gestão financeira para gastos como assinaturas mensais de serviços, viagens e marketing digital. O portfólio soma 9 mil clientes no Brasil, México e Colômbia. A operação brasileira atende duas mil empresas de segmentos variados, com projeção de chegar a cinco mil até dezembro.

A startup mexicana estima ainda passar dos R$ 2 bilhões movimentados por meio do cartão de crédito no País. O montante é quatro vezes maior do que os R$ 500 milhões registrados em 2022, primeiro ano de operação da startup mexicana no Brasil. Em março de 2022, a Clara desembarcou na Colômbia.

Recursos irão para desenvolvimento de produtos e contratações

Os R$ 100 milhões em investimentos projetados para este ano serão direcionados ao desenvolvimento de produtos voltados às particularidades brasileiras, como o Pix. A ampliação do time também está nos planos da empresa, que tem hoje cerca de 50 vagas abertas e uma equipe de 350 funcionários. O movimento de expansão destoa da cautela vista no setor de tecnologia. No entanto, Savattero diz que a startup está preparada para levar adiante o plano. “Estamos bem capitalizados”, afirma. “Além disso, temos um produto para ajudar a aumentar a eficiência das empresas nesse cenário macroeconômico difícil.”

Publicidade

Desde a sua fundação, em abril de 2020, a Clara levantou US$ 250 milhões, divididos entre equity (venda de participação) e instrumentos de dívida. Além disso, obteve, em agosto, linha de crédito inicial de US$ 50 milhões do Goldman Sachs com a opção de ampliação para até US$ 150 milhões.

Esta coluna foi publicada no Broadcast no dia 28/02/2023, às 15h20

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.