EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Gooxxy evita descarte de 18 mil caixas com recuperação de embalagens

Volume equivale a R$ 7 milhões em mercadorias

PUBLICIDADE

Foto do author Altamiro Silva Junior
Por Altamiro Silva Junior (Broadcast)
Serviço reduz a probabilidade dos itens vencerem ou chegarem ao cliente próximos à data de vencimento Foto: Hélvio Romero/Estadão

Criada para evitar o desperdício no comércio e na indústria, e responsável por recolocar mais de R$ 1 bilhão em produtos no mercado só em 2023, a Gooxxy criou um novo serviço para evitar o descarte de embalagens danificadas. Nos dois primeiros meses de operação, foram recolocadas 18 mil caixas, o equivalente a R$ 7 milhões de valor em mercadorias.

PUBLICIDADE

No novo serviço, que recebeu o nome de GoRestart, o objetivo é reaproveitar bens que chegam ao consumidor com embalagens danificadas pelo transporte, ou que tiveram contato com outros produtos pelo caminho, e que muitas vezes são simplesmente jogados fora.

No caso de alimentos, esse serviço reduz a probabilidade dos itens vencerem ou chegarem ao cliente próximos à data de vencimento. Como o produto é recolocado em outros pontos de venda, também evita o descarte e geração de lixo desnecessários, e gera oportunidade para o comércio oferecer os itens a preços mais baixos.

‘Greentech’ foi criada em 2018 e atende grandes marcas

A “greentech”, criada em 2018 pelo empresário Vinicius Alves Abrahão, evitou o desperdício de itens como chocolates, pães, bolos, bebidas, além de produtos de higiene, como condicionador e desodorantes. Entre os principais parceiros atendidos no Brasil pela Gooxxy estão nomes como Nestlé, Mondelez, Vigor, Unilever, Ifood, BRF e Swift.


Publicidade

Este texto foi publicado no Broadcast no dia 29/11/23, às 15h54

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.