EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Santander vai vender energia de geração distribuída para clientes

Banco busca diversificar fontes de receita no País para além do crédito

PUBLICIDADE

Foto do author Matheus Piovesana
Por Matheus Piovesana (Broadcast) e Wilian Miron (Broadcast)
Atualização:
A instituição atua também no financiamento de projetos de geração própria de energia em telhados Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo - 02/12/2022

O Santander Brasil passará a oferecer energia por assinatura a seus clientes de 14 Estados do País, incluindo o interior de São Paulo, por meio da FIT Energia, na qual tem 60% de participação. Até o final do ano, o objetivo é chegar a 20 Estados com o serviço.

PUBLICIDADE

Com a ação, o banco quer ampliar seu portfólio de serviços, apostando num mercado com alto potencial de crescimento no País, especialmente num cenário em que as contas de luz dos consumidores do mercado regulado estão elevadas. A estimativa do banco é que a eletricidade vendida nesta modalidade custe, em média, 15% menos do que o valor pago atualmente nas contas de luz da distribuidora. A instituição atua também no financiamento de projetos de geração própria de energia em telhados, com crédito para aquisição dos painéis e equipamentos.

A adesão ao serviço é gratuita, e os clientes que quiserem precisam ter contas de luz de pelo menos R$ 250 mensais. Para empresas, é necessário que estejam em redes de baixa tensão e que paguem ao menos R$ 500 por mês na fatura. Com a capacidade de geração que a FIT possui, de aproximadamente 500 megawatts-pico (MWp) atualmente, o banco estima poder atender a até 100 mil pessoas em uma primeira etapa.

Alternativa para quem não quer investir em painéis

“A gente vê aqui uma alternativa bastante interessante para o cliente que quer usar esse benefício, contribuir para a geração de energia renovável e limpa, e que ao mesmo tempo não quer fazer o investimento [em telhado solar fotovoltaico]”, disse o diretor de Pessoa Física do Santander, Geraldo Rodrigues Neto.

A atuação da FIT Energia nesse mercado deve ser de gestão tanto de consumidores, quanto de geradores de energia, explicou o executivo. Segundo ele, uma das vertentes do negócio é justamente a prospecção de clientes e geradores, além da realização de convênios com as distribuidoras. “Tem um lado de avaliar projetos e aumentar nossa capacidade de geração, mas também de angariar clientes que tenham interesse em aderir ao serviço.”

Publicidade

O Santander tem buscado diversificar fontes de receita no País, para se tornar menos dependente do crédito, em especial no banco de varejo. A oferta de produtos e serviços que extrapolam o mundo bancário tradicional é uma das vias que o conglomerado tem explorado, o que explica a compra de ações da FIT e também de uma fatia de 70% da gestora de energia América, anunciada em março.


Este texto foi publicado no Broadcast no dia 17/04/24, às 11h00

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.