EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

TIM vai ativar redes 5G nas capitais até fim do ano

 

PUBLICIDADE

Foto do author Circe Bonatelli
Por Circe Bonatelli (Broadcast)
Atualização:

Loja da TIM na Av. Paulista, em São Paulo. Crédito: Lucas Galli/Divulgação Foto: Estadão

 

A italiana TIM se movimenta para ativar a rede de internet móvel de quinta geração (5G) em algumas capitais brasileiras ainda este ano, seguindo os passos das rivais Claro, Vivo e Oi, que largaram na frente. A corrida serve para dar publicidade às operadoras e atrair os clientes mais ávidos por novas tecnologias, que topam pagar entre R$ 3 mil e R$ 6 mil por celulares com antenas 5G. A iniciativa é importante em um mercado em que todos os consumidores já escolheram sua operadora, e a briga das empresas para crescer é um jogo de rouba monte.

PUBLICIDADE

É o que temos. Por enquanto, as companhias estão oferecendo o 5G numa modalidade chamada DSS, que pega "emprestado" um pedaço das faixas de radiofrequência nas quais já trafegam os sinais do 4G. O 5G DSS é um avanço na conexão, mas ainda está abaixo da velocidade super alta de navegação que virá no 5G "definitivo". Mas isso ainda depende do leilão das faixas específicas para o 5G, que será feita ano que vem pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Testes. A TIM ativou no fim do mês passado redes 5G para testes em três cidades: Bento Gonçalves (RS), Três Lagoas (MS) e Itajubá (MG). Cerca de 300 clientes estão recebendo equipamentos para testarem, sem custos extras, a rede 5G da operadora italiana.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.